Estádio do Maracanã, um dos palcos da Copa de 2014

O Brasil pode “perder o bonde” da telefonia de quarta geração, e acabar não oferecendo a faixa até a Copa de 2014. É o que declarou o  diretor para América Latina e Caribe da associação 4G Américas, Erasmo Rojas, ao jornal Valor Econômico dessa sexta-feira, 07.

A associação de Rojas reúne empresas de telefonia móvel de todo o mundo.

Conforme o jornal, o dirigente tinha a expectativa de que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) realizasse o leilão de frequências para 4G ainda neste ano. Mas o prazo não está nos planos da agência.

Segundo o Valor, o gerente-geral de certificação e engenharia do espectro da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Maximiliano Martinhão, disse que até dezembro de 2012 haverá o processo de licitação da faixa de frequência de 2,5 gigahertz (GHz), reservada parcialmente para 4G, e alguma empresa estará operando a rede em meados de 2013.

Rojas diz acreditar que a indústria móvel brasileira irá pressionar a Anatel para que antecipe o processo: "Leilão em 2012 será muito tarde para ter as redes em 2014".

Por enquanto, existem apenas 10 mil usuários em 15 redes comerciais de 4G que operam em 11 países, nenhum na América Latina.

Para abrir caminho para a 4G, a Anatel reservou a faixa de 2,5 GHz. O processo envolveu uma longa polêmica, porque a faixa hoje é usada pelos operadores de TV por assinatura.

Confira a matéria do Valor Econômico nos links relacionados abaixo, para assinantes do jornal.