PayPal e Vivo: pagamento via celular

08/12/2010 14:47

A empresa de pagamentos on-line PayPal e a Vivo se uniram na criação de um novo sistema de pagamentos via celular e apostam no Brasil como base para sua popularização.

Os 58,4 milhões de clientes da Vivo poderão abrir contas no PayPal diretamente pelo celular, cadastrar seus cartões de crédito e fazer compras trocando mensagens de texto, ainda no primeiro semestre de 2011.

Tamanho da fonte: -A+A

A empresa de pagamentos on-line PayPal e a Vivo se uniram na criação de um novo sistema de pagamentos via celular e apostam no Brasil como base para sua popularização.

Os 58,4 milhões de clientes da Vivo poderão abrir contas no PayPal diretamente pelo celular, cadastrar seus cartões de crédito e fazer compras trocando mensagens de texto, ainda no primeiro semestre de 2011.

O serviço estará disponível em qualquer aparelho GSM ou 3G, com ou sem conexão à internet, e deve começar a ser testado com a compra de créditos entre os clientes pré-pagos, que representam 79% dos usuários da Vivo, informa o vice-presidente de marketing e inovação da operadora, Hugo Janeba.

"Estamos unindo esforços para viabilizar uma solução de pagamento em um sistema que o cliente pré-pago já sabe usar muito bem, que é o SMS”, ressalta Janeba.

O presidente da PayPal no Brasil, Mario Mello, destaca que a experiência inédita servirá como exemplo para a adoção do sistema de pagamento via SMS da empresa em outros países.

O projeto iniciado há três meses envolve o trabalho conjunto de engenheiros da PayPal  e de profissionais da operadora no desenvolvimento de um sistema de pagamentos baseado na troca de códigos e torpedos.

De acordo com Mello, o sistema de segurança ficará a cargo do sistema da PayPal, cujas transações on-line são protegidas e monitoradas por uma equipe antifraude. As informações dos clientes são armazenadas de acordo com critérios internacionais de proteção de dados.

Com mais de 200 milhões de clientes registrados movimentando US$ 87 bilhões em 2009, a empresa espera fechar este ano com 5 milhões de pessoas na nova plataforma em celulares inteligentes como iPhone, da Apple, BlackBerry, da Research In Motion (RIM) e, em breve, modelos com o sistema Android, do Google.

A PayPal espera aumentar o volume transacionado via dispositivos móveis de US$ 141 milhões, em 2009, para mais de US$ 500 milhões no mundo inteiro, em 2010.

Veja também

PayPal: 1 mi de apps em três semanas

O aplicativo para iPhone do PayPal, lançado há três semanas, acaba de ultrapassar a marca de um milhão de downloads.

Segundo informações do TechCrunch, o aplicativo permite gerenciar contas no PayPal, realizar doações, angariar valores para eventos, lembrar de pagamentos futuros, entre outros.

O aplicativo gratuito tem suporte a 15 idiomas e exibe uma ferramenta de conversão monetária.

PayPal abre em uma semana no Brasil

O PayPal, portal intermediário de 15% das vendas eletrônicas mundiais, vai abrir uma operação no Brasil na próxima semana.

É o que aponta uma reportagem da Folha de São Paulo desta terça-feira, 24.

Mesmo sem atuar no Brasil, o PayPal é usado por dois milhões de empresas nacionais para adquirir importados. Elas movimentaram US$ 220 milhões no ano passado, revela a Folha.

AG2 será agência do PayPal

A campanha de lançamento do PayPal no Brasil, prevista para as próximas semanas, será feita pela AG2 Publicis Modem.

É o que garante o site Meio e Mensagem em nota publicada nesta quarta-feira, 08.

Paypal patrocina liquidação online Detonaweb

O Paypal, site de pagamentos americano que está iniciando operações no Brasil, patrocina a 10ª edição da liquidação online Detonaweb, que reunirá 20 marcas do varejo brasileiro.

A ideia é estimular os cadastros dos interessados no site. O Detonaweb oferece condições especiais como descontos de até 50% nos preços, fretes grátis e possibilidade de parcelamento em até 12 vezes.

Lucro da Vivo sobe 80,9% no 3T10

A Vivo encerrou o terceiro trimestre de 2010 com lucro líquido de R$ 601,8 milhões, crescimento de 80,9% em comparação ao 3T09.

A receita líquida foi de R$ 4,61 bilhões, expansão anual de 10%, e o Ebitda, de R$ 1,54 bilhão, com margem de 33%. Em igual trimestre de 2009, o Ebitda da companhia havia sido de R$ 1,40 bilhão.

Paypal: solução de pagamento online no Terra

A PayPal fechou acordo com o Terra para disponibilizar o serviço de transação financeira pela internet aos clientes do Terra Divulga Fácil, produto voltado para pequenas e médias empresas.

Vivo: 30% mais vendas com software IBM

A Vivo  aumentou suas vendas em mais de 30% e reduziu os custos operacionais  de desenvolvimento e execução de campanha em 90% ao adotar o Unica, o software de automação de marketing da IBM.

O anúncio foi feito pela IBM durante o Smarter Industries Symposium.
 

3G: a 33% da meta, Vivo não joga toalha

Com 33% da meta de expansão do 3G para 2010 ainda por completar, a Vivo não abandona o objetivo de 1.410 municípios brasileiros conectados até o final deste ano. Hoje, a operadora chega a 938 cidades com a tecnologia.

Segundo o presidente da empresa, Roberto Lima, o ritmo deve ser intensificado neste último mês e meio, impulsionado pelo aporte de infraestrutura.

Vivo: atendimento SMS exclusivo no RS

A Vivo anunciou nesta sexta-feira, 12, um projeto de atendimento via SMS exclusivo para o Rio Grande do Sul. Os clientes da operadora no estado serão testarão o serviço.

“Se vai seguir ou não depende dos gaúchos”, brincou Roberto Lima, presidente da Vivo, que esteve em Porto Alegre para o anúncio.

Vivo: tablet para crescer em smartphopnes

Usar os tablets para aumentar a fatia de planos de dados voltados para celulares inteligentes é a intenção da Vivo com o lançamento do tablet Galaxy TAB, da Samsung.

O modelo foi anunciado nesta terça-feira, 23, para os estados do sul do Brasil – o aparelho já é vendido, desde a última sexta-feira, em São Paulo e Rio.

Wikileaks: PayPal é atacado, Visa na mira

Pelo menos três ataques de um grupo de ativistas pró-WikiLeaks foram registrados pela empresa de segurança PandaLabs.

Conforme a companhia, um grupo chamado SGAE já atingiu o serviço de pagamentos online PayPal – que suspendeu a conta do site – e a página do banco suíço Post Finance, que congelou a aplicação de Julian Assange, fundador do site.

Os ataques resultaram em paralisações de oito horas (PayPal) e 11 horas (PostFinance).