Luciani, executivo da TIM,

A TIM investirá R$ 500 milhões em infraestrutura até 2013 no Rio Grande do Sul.

O aporte faz parte de uma estratégia agressiva da empresa no estado, que visa dobrar o número de clientes da operadora – hoje segunda maior do país, mas a terceira no mercado gaúcho – até 2013.

Junto com os gastos na infraestrutura previstos para o triênio, a empresa aposta na identidade e no bolso dos gaúchos, com patrocínios à dupla Gre-Nal, ao movimento tradicionalista, e uma oferta para os clientes de pré-pago que muda a regra do uso ilimitado de serviços.

“É uma oferta única para um mercado único. Nunca fizemos nada parecido”, declarou Luca Luciani, presidente da TIM Brasil, ao anunciar os planos no piquete da operadora no Acampamento Farroupilha.

“Eu nunca lancei produto num piquete, por exemplo”, arrematou, na apresentação dessa sexta-feira, 09.

Share e alcance em dobro
Hoje com 12,8% de share – e 1,7 milhão de clientes – a TIM quer dobrar as métricas até 2013.

Se conseguir o feito, deve conquistar o segundo lugar entre os celulares gaúchos, hoje ocupado pela Claro. Quem lidera no Rio Grande do Sul é a Vivo – também líder no país.

Para tanto, os R$ 500 milhões serão investidos em infraestrutura, numa iniciativa para aumentar a capacidade de voz (tecnologia 2G) dos 97,1% da população urbana do estado para 99%.

O esforço inclui “iluminar” cidades do interior hoje não atendidas pela operadora. Entre elas, Passo do Sobrado, Santa Clara do Sul, Tavares, Cerrito, Campinas do Sul, Barra do Quaraí e Palmitinho.

Juntos, esses municípios têm população de quase 40 mil pessoas – 35 vezes menor que a de Porto Alegre –, e vão ganhar 28 antenas novas da operadora. “Nós queremos chegar ao maior número de pessoas possível, especialmente nas regiões mais distantes do estado”, explicou Luciani.

No 3G, a meta é chegar a 80% até 2013. Hoje, a operadora cobre 40% da população urbana, e espera chegar ao final de 2011 com 57% de cobertura.

Luciani classifica os investimentos como gastos para manter o nível do serviço. Segundo o executivo, a Anatel atestou a TIM como tendo a melhor qualidade de transmissão em 2011, afastando o fantasma do sinal fraco.

“Se isso ocorreu alguma vez foi há muitos anos”, disse Roger Solé, mentor da estratégia de marketing da empresa no Rio Grande do Sul.

TRI para os gaúchos
O investimento será acompanhado de gastos estratégicos, que visam a cativar o público gaúcho, com o patrocínio da dupla Gre-Nal, chips personalizados para os torcedores e promoções ativadas em dias de jogos focadas nos fãs dos times.

O maior trunfo, no entanto, devem ser as promoções para o pré-pago: “É algo único no mundo o que estamos fazendo aqui”, garantiu Luciani.

A partir de sábado, toda a base gaúcha de pré-pago entrará debaixo do Infinity TRI.

Nessa oferta, os clientes pagarão um valor fixo por um serviço uma vez no dia passando a usufruí-lo de graça até às 23h59 do mesmo dia.

Os serviços englobados são ligações locais e DDD para qualquer TIM (por R$ 0,25 no dia em que for utilizado), ligações para números fixos de qualquer operadora (R$ 0,50), acesso à internet ilimitado no celular (R$ 0,50) e torpedos para qualquer operadora do Brasil (R$ 0,50).

“Tudo isso sem pegadinha, sem taxa de adesão, sem recarga mínima, nada. É uma forma muito mais transparente de administrar o seu pré-pago”, garantiu Luca.

Perguntado sobre o tempo de duração da oferta, porém, Luca não foi muito claro: “Não se trata de uma promoção curta. Há algum tempo não temos esse tipo de estratégia”, limitou-se a dizer o executivo.

Enquanto estiver ativa, no entanto, por R$ 1,75 ao dia, os usuários do pré-pago poderão “desbloquear” boa parte dos serviços TIM. No mês, o gasto fica em R$ 52,50, pouco menos que o dobro do plano Infinity Controle (R$ 32/mês) – cujos clientes também se beneficiarão da oferta.

No lado Liberty da tabela – outra linha de produtos da TIM – a tarifa mais baixa é de R$ 99, e nem tudo é tão ilimitado assim.

“Vamos garantir um bom serviço sem o compromisso. O cliente pré quer independência, e é isso que estamos dando pra ele”, completou Luca.

A oferta do TRI é válida somente no Rio Grande do Sul.

TIM RS, (re)ativar
Com tanta exclusividade – oferta única, patrocínio único e almoço de lançamento em piquete no parque da Harmonia – a TIM RS foi reativada, após cinco anos de incorporação à Regional Sul – que incluía Paraná e Santa Catarina.

Agora, a operação independente dos gaúchos – Paraná e Santa Catarina seguem juntos – contará com um diretor próprio: Christian Krieger, que trabalhava na concorrente Claro desde 2001, onde foi, no último ano, Gerente de Consumo no Rio Grande do Sul.

Cheio de metas, Krieger é a aposta no Sul.

“Tenho certeza que em 2013 vamos voltar aqui e celebrar a liderança”, assinalou Luca.

Entre os objetivos do novo diretor e sua equipe – composta por seis gerentes, três coordenadores, uma consultora e seis analistas – estão dobrar as lojas próprias e os pontos de venda.

“Eles (da TIM) estão com um brilho especial no olho pelo Rio Grande do Sul”, observou, Krieger.

“É porque é impossível ser líder no Brasil sem uma presença forte aqui”, completou Luca.

Os R$ 500 milhões fazem parte de um plano maior de investimento de R$ 10 bilhões em todo o Brasil, até 2013.