Pesquisa realizada pela Accenture aponta que 75% das empresas de telecomunicações planejam oferecer serviços técnicos para equipamentos pessoais nos próximos dois anos.

Segundo o relatório, a medida é motivada por dois motivos.

Em primeiro lugar, a integração entre o uso pessoal e profissional de smartphones e tablets, que tem gerado a necessidade de suporte.

A segunda razão é preventiva: uma vez que haja a demanda, as teles temem que outras fornecedoras se infiltrem na sua base de clientes.

Foram entrevistados 59 executivos de empresas de telecomunicações, em 20 países do mundo, com receitas acima de US$ 500 milhões anuais.

Na amostra, 86% citaram a confiança no relacionamento com o consumidor como um dos motivos pelo qual se sentem confortáveis em atuar no suporte.

Uma fatia de 58% dos fornecedores acredita que seus clientes valorizam a disponibilidade de infraestrutura de atendimento conectada aos equipamentos residenciais, pessoais ou de trabalho como um diferencial.

Também são pontos positivos, segundo as empresas, a reputação em relação à competência técnica (56%) e a oferta de um formato de cobrança que possa acomodar serviços adicionais (54%).

Mais da metade das teles (53%) acredita que possuem vantagem competitiva porque já fornecem serviços para telefones móveis e smartphones, que podem servir como hub para outros equipamentos.

Além disso, a maioria dos fornecedores (73%) já enxerga a indústria como bem posicionada para atender às necessidades técnicas dos consumidores para itens como telefones celulares e smartphones.

Apesar da intenção de oferta, a Accenture aponta que a indústria ainda não possui as capacidades necessárias para prestar esses serviços de forma unificada.