A fabricante de equipamentos de telecomunicações ZTE foi a segunda empresa chinesa a anunciar investimentos no Brasil esta semana.

A companhia oficializou na segunda-feira, 11, uma parceria com a prefeitura de Hortolândia para construção de uma fábrica na cidade.

Durante o "Seminário Empresarial Brasil-China: para além da complementaridade", realizado no país asiático, o investimento foi anunciado na presença da presidente Dilma Rousseff e do presidente da China, Hu Jintao, em um ato solene que marcou a assinatura de acordos bilaterais com empresas de ambas as nações.

A cerimônia também incluiu a Huawey, fabricante de equipamentos de tecnologia sem fio que prometeu destinar US$ 350 milhões à construção de um centro de pesquisas em Campinas, conforme matéria publicada no Baguete Diário que pode ser lida na íntegra pelo link relacionado abaixo.

No caso da ZTE, o valor do investimento não foi divulgado.

O presidente da subsidiária brasileira da empresa, Yuan Lie, entretanto, informou que a nova unidade será responsável por atender toda a América do Sul, consolidando o Brasil como o centro de operações da companhia para a região.

“O pólo de Hortolândia, que contemplará produção, centro de treinamento, centro de distribuição logística, também será nosso primeiro centro de pesquisa e desenvolvimento da na América Latina”, destaca Lie.

Já o CEO da ZTE do Brasil, Eliandro Ávila, a própria empresa é um exemplo prático de como a integração entre chineses e brasileiros pode ser rica e bem sucedida.

“Nossa operação brasileira iniciou em 2001 e vem mantendo um crescimento sustentado desde então, com uma média anual superior a 100% nos últimos três anos", afirma Ávila.

A ZTE fabrica equipamentos e soluções de rede, atendendo a mais de 500 operadoras de Telecom localizadas em mais de 140 países.

Em 2010, a receita da companhia subiu 21% em relação ao ano anterior, somando US$ 10,609 bilhões.

Conforme Lie, aproximadamente 10% da receita anual da empresa são destinados a atividades de pesquisa e desenvolvimento.