Luca Luciani

A TIM Brasil projeta investimentos de R$ 2,5 bilhões no Brasil ao longo de 2010, quando a companhia prevê um crescimento acima de 5% na receita de serviços no país, com margem EBITDA maior que 25%, ante os 23% de 2009.

O montante destinado ao país este ano é 20% superior ao de 2009, segundo revelou o CEO do grupo Telecom Italia, Franco Bernabé, nesta terça-feira, 13, durante um encontro com analistas em Milão.

Da parcela do investimento em rede, um terço será alocado na expansão da capacidade, outro terço na ampliação da cobertura 2G e o restante no crescimento da rede 3G, beneficiado pela economia gerada com a integração da Intelig, concluída em dezembro de 2009.

Já o presidente da TIM, Luca Luciani, destaca que espera para a empresa, já no primeiro trimestre deste ano, a continuidade da evolução dos indicadores financeiros.

“Nossa receita de serviços seguirá crescendo no comparativo ano-a-ano, com forte aceleração sobre a comparação ano-a-ano do 4o trimestre de 2009, que apresentou variação positiva de 0,3%”, ressalta Luciani. “Quanto ao EBITDA, esperamos crescimento na casa de dois dígitos, superando o desempenho do último trimestre, que foi de 3%”, informa.

Em fevereiro, a TIM alcançou 41,8 milhões de clientes no país. A operadora fechou o primeiro trimestre com evolução no segmento pós-pago, revertendo a tendência negativa registrada no 1o trimestre de 2009.

Já a base pré-paga está em expansão: conforme o presidente, as adições irão superar as 800 mil no próximo trimestre.

Para o triênio 2010/2012, o projeto da TIM é de que o MOU (minutos por usuário) atinja 180 minutos, crescimento de aproximadamente 100% sobre 2009.

Quanto à base de clientes, o aumento esperado é de aproximadamente 10% ao ano.

A companhia também projeta manter a liderança do ARPU (receita media por usuário), hoje em R$ 27.