A Oi encerrou o primeiro trimestre com lucro líquido de R$ 496 milhões, contra R$ 11 milhões registrados em igual período do ano passado.

A receita bruta consolidada subiu 2,7% em relação aos primeiros três meses de 2009, chegando a R$ 11,5 bilhões, e a receita líquida atingiu R$ 7,5 bilhões.

Os dados incluem a Brasil Telecom, adquirida em janeiro do ano passado.

O Ebitda da Oi no trimestre ficou em R$ 2,53 bilhões, alta de 6,5% ano/ano. Já a margem Ebitda foi de 33,9%, contra 31,7% do mesmo período de 2009.

“Depois de expandir a atuação para todo o país, a Oi apresenta os primeiros resultados conquistados com a integração operacional das duas operadoras, o que demonstra que caminhamos para atender à de sinergias de custos prevista para este ano”, afirma o diretor de Finanças e Relações com Investidores da Oi, Alex Zornig.

De março de 2009 a março deste ano, a Oi conquistou 4,6 milhões de novos clientes, encerrando o período com 62,2 milhões de usuários.

Deste total, 21,1 milhões são de telefonia fixa, 36,6 milhões de telefonia móvel, 4,3 milhões de banda larga fixa e 283 mil de TV por assinatura.

A expansão foi liderada pelo serviço de telefonia móvel, que apresentou um aumento de 15% na base de clientes em comparação com março do ano passado.

Tal crescimento foi impulsionado, principalmente, pela operação da companhia em São Paulo: no final do trimestre, o estado representava 16% da base de clientes móveis da operadora, com 5,7 milhões de usuários.

Na Grande São Paulo, a participação da empresa chegou a 16,4% nos primeiros três meses do ano.