A Aorta, especializada mobilidade, foi comprada pelo .Mobi, grupo de empresas do ramo controlado pelo Grupo RBS.

Segundo a .Mobi, o negócio forma a companhia maior companhia de mobile marketing e mobile advertising do país, com a incorporação de 50 marcas ao seu portfólio, além de um incremento no faturamento de 45%, para R$ 30 milhões.

O negócio, cujos valores não foram revelados, fusiona duas empresas com um histórico comprador em série na área mobile.

Desde 2010, a Aorta assimilou a MobiMarket e a Meritia, triplicando o faturamento frente a 2009, apenas com as aquisições.

Já a .Mobi comprou, apenas no ano passado, a Hands e a Fingertips, e firmou parceria com uma companhia inglesa, a Addictive Mobile. Antes disso, a .Mobi já reunia cinco empresas: MobMidia, Minucom, Mr. Postman, NewAd.Mobi e Redemobi.

A série de aquisições levou a própria RBS a dobrar sua participação no .Mobi, iniciada em 2008, chegando a 60% em 2010.

Mobile na veia
Léo Xavier, CEO do Grupo.Mobi, vê a aquisição como mais um passo dentro da estratégia da companhia em crescer no mercado de mobilidade.

“A complementaridade (da Aorta) é enorme com as demais empresas (do Grupo.Mobi).  A Aorta é orientada para o que chamamos de mobile business, utilizando mobilidade como plataforma de alavancagem de negócios”, avalia o executivo.

Aorta: 2 mi de apps
Hoje, a Aorta tem mais de 100 funcionários e escritórios em São Paulo e Belo Horizonte.

Entre os seus clientes estão todas as operadoras de telefonia do Brasil, além de agências de publicidade e marcas como Brahma, Skol, Bradesco, McDonalds, SporTV, GloboNews, Folha de S. Paulo e as mineradoras CSN e Ferrous.

No ano de 2010, último relatório divulgado, a empresa chegou a cerca de R$ 10 milhões movimentados. Em 2011, foram 2 milhões de downloads para iOS, Android, BlackBerry e Symbian.

Com a compra, Gustavo Ziller, diretor geral e sócio da Aorta, continuará no comando da companhia.

Multiplicando com o mercado?
As recentes fusões da .Mobie da Aorta, com outras e entre elas, mira num mercado que, segundo estudos, deverá dobrar de tamanho em 2012, passando de R$ 1,8 bilhão para R$ 3,6 bilhões.

Empresa solitária, nascida em 2007, a .Mobi cresceu para um faturamento de R$ 13 milhões em 2010, o triplo de 2009. Hoje, a empresa tem quatro escritórios – em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Recife.

Entre os clientes, a empresa tem Coca-Cola, Unilever, Grupo Pão de Açúcar, Ambev, Itaú, Volkswagen, Gol Linhas Aéreas, Nike, Positivo Informática.