Rubens Bordini

O Banrisul pretende começar a construir em maio um novo data center na Zona Sul de Porto Alegre.

O prédio no bairro Teresópolis terá sete andares e abrigará também os 600 colaboradores da área de desenvolvimento de sistemas do banco, atualmente concentrados na sede localizada na praça da Alfândega.

“Nosso projeto é construir um data center Tier 3 e aderente a todos os princípios de TI verde”, assegura Rubens Bordini, ex-CIO do Banrisul e atual presidente interino do banco estatal gaúcho.

A estrutura utilizará o ar frio da rua em dias de inverno para garantir a refrigeração. “Podemos ter uma economia de 40% no ar condicionado”, afirma Bordini.

O presidente do Banrisul prefere não informar o custo previsto para obra, alegando que não quer condicionar as ofertas da licitação.

Os editais para empresa que construirá e a que fiscalizará a construção devem sair até o final de março. A expectativa é que a obra dure entre 12 e 18 meses.

Fontes de mercado consultadas pelo Baguete Diário apontam para algo na faixa dos R$ 50 milhões, aproximadamente um quarto do orçamento de TI do banco para 2011, estimado em R$ 180 milhões.

“Teremos espaço para expandir o data center por 40 anos. Não se faz um investimento desses pensando no curto prazo”, garante Bordini.

O novo data center passará a ser o principal do Banrisul, com o atualmente alocado na sede oferecendo redundância. O atual data center redundante, localizado na Fundação Banrisul, também no centro de Porto Alegre, será desativado.

Ambas estruturas estarão separadas por pouco mais de 10 km e conectados por fibra ótica, parte dela da Procempa, parte do banco.

O data center localizado na sede passou por uma reforma orçada em R$ 7 milhões, que inclui a retirada de dois caminhões carregados de cabos metálicos, substituídos por fibra ótica, além de reformas na sala cofre e instalação de ar condicionado de precisão.