A gaúcha Datacom assinou na tarde dessa quarta-feira, 16, contrato de R$ 15 milhões com a Telebrás.

Pelo edital vencido pela empresa, poderá ser licitado um total de R$ 110,2 milhões em 24 meses entre a estatal e a fornecedora.

Esse é o primeiro contrato assinado pela Telebrás com uma empresa do Rio Grande do Sul.

“Nesse contrato (de R$ 15 milhões), serão em torno de 750 switches de borda IP, usados para a parte de comutação da rede. A Telebrás deve fazer a aquisição dos R$ 110 milhões ao longo de 24 meses”, diz Antonio Carlos Pôrto, diretor executivo da Datacom.

No total, podem ser vendidos cerca de 5000 switches, conta o executivo. Os primeiros deverão ser entregues em 45 dias, contando a partir dessa quarta-feira, 16.

O grupo, com matriz em Porto Alegre, vai prover os equipamentos e serviços de borda da rede IP para o Plano Nacional de Banda Larga (PNBL).

A Datacom venceu pregão eletrônico com registro de preço cujo edital se enquadrou na Lei 12.349 de 15 de dezembro 2010, à época, MP 495, que dá preferência à indústria nacional em litações.

Especializada em desenvolvimento de soluções de produtos Metro Ethernet e SDH para provedores globais de serviços de Telecomunicações, a Datacom faturou R$ 137 milhões em 2010.

Somente o contrato do PNBL assinado nessa quarta-feira equivale a 11,5% do total movimentado no ano passado.

"É claro que o contrato vai ter um impacto sobre o faturamento. Esperamos que a Telebrás compra entre R$ 40 milhões e R$ 50 milhões de equipamentos em 2011", disse Pôrto.

Para o diretor, no entanto, o impacto mais significativo se dá no incentivo à pesquisa e à produção nacional, que acaba beneficiando toda a cadeia do setor.

"À medida em que eu fabrico mais, eu contrato mais e compro mais também", conclui.

Expansão em pesquisa
No final do ano passado, a Datacom inaugurou um centro de pesquisa e desenvolvimento em Santa Cruz do Sul, a 150 quilômetros da capital gaúcha, o quinto centro do gênero da fornecedora de telecomunicações gaúcha.

Devem ser contratos até o final do ano 20 profissionais, número que pode dobrar em 2011.

Ao todo,  a Datacom emprega 250 engenheiros na pesquisa, a maior parte deles na sede em Porto Alegre, outros 70 em Curitiba e outros 20 em Florianópolis.

A equipe de Santa Cruz atuará no desenvolvimento de software embarcado para os equipamentos da linha de switches da empresa.

PNBL em andamento
Além desta solução, a Telebrás já contratou o fornecimento do core da Rede IP, na última semana,   no valor de R$ 24,3 milhões, bom como a infraestrutura para os Pontos de Presença (POPs) dos Anéis Sudeste e Nordeste, no valor de R$ 62,5 milhões.

Também já estão contratados os equipamentos e serviços DWDM (Dense Wavelength Division Multiplexing) que vão iluminar as fibras ópticas da rede, atualmente apagadas. O valor do contrato é de R$ 17,5 milhões e compreende o atendimento da rede no Anel Sudeste e no Anel Nordeste.

Segundo a Telebrás, deve ocorrer em breve a assinatura do contrato com o consórcio vencedor do pregão de rádio, e com as empresas que vão fornecer torres e postes – entre elas, a gaúcha Digitel.

Ambas compreendem a solução de enlaces de rádios digitais cuja função será distribuir o sinal do backbone (espinha dorsal da rede) até a sede dos municípios contemplados pelo PNBL.