Luís Sievert, diretor Comercial da Policom PR e RS

O Grupo Policom encerrou 2010 com crescimento de 40%, atingindo faturamento de R$ 120 milhões.

Conforme comunicado divulgado pela empresa, grande parte do resultado se deve à Policom São Paulo, que cresceu e se recuperou da crise vivenciada pelo mercado nos anos anteriores, elevando seu faturamento em 80% nos últimos 12 meses.

Vai que vai a operação do Grupo Policom no Sul: na região, a companhia paulista projeta faturar em torno de 13% a mais em 2010, chegando aos R$ 16 milhões.

O Sul também ajudou: no ano passado, a companhia investiu para ampliar até cerca de 16% a participação da regional, que atende a mais de 5 mil contratos ativos, ultrapassando 10 mil cientes, entre integradores, instaladores e usuários finais como indústrias, universidades e órgãos públicos

Regionalmente, o grupo atua por meio da Policom PR, sediada em Curitiba; e Policom RS, em Porto Alegre.

Esta última, inaugurada em outubro de 2008, contribuiu para que a representação do Rio Grande do Sul nos negócios da organização paulista crescesse de 6% naquele ano para mais de 10% no fim de 2009, segundo Luís Sievert, diretor Comercial das duas regionais.

E para 2011, a companhia, que está presente em São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Paraná, prevê crescer em torno de 15%, faturando em torno de R$ 140 milhões.

“Os resultados significam que, de 2007 para 2008, o faturamento do grupo cresceu 23%, mantendo a média histórica de crescimento na casa dos 20%”, explica Gilmar Miralha, presidente do grupo.

Ainda segundo ele, em 2008 o faturamento atingiu a casa dos R$ 91 milhões, valor próximo ao realizado até dezembro de 2009, em função da desaceleração da economia.

Em 2010, o faturamento voltou a se expandir, aproximando-se de R$ 120 milhões, correspondendo a 40% sobre o exercício anterior.

Na média, as quatro outras unidades da Policom (Paris Cabos, Policom RJ, Policom PR e Policom RS) elevaram entre 5 e 10% os seus resultados em 2010, com base no mesmo período anterior.

“Batemos todos os nossos recordes e compensamos o resultado de 2008 para 2009”, comemora Miralha. “Graças a isso, pudemos investir em profissionais para as áreas comercial e técnica em todas as empresas do grupo, inclusive com ampliação do quadro de colaboradores nessas áreas ao redor de 30%”, complementa.

Para concretizar a meta de 2011, o presidente afirma que seguirá havendo investimento no corpo de colaboradores e na rede de canais.

Com foco nessas ações, foi criado em 2010 o Policom Solution Center, com investimento de R$ 300 mil (recursos próprios).

São 130 m² dedicados a show room funcional das principais tecnologias ofertadas pela empresa e centro de treinamento, que atenderá demanda interna e externa.

Além disso, a Policom a abertura a soluções de CFTV IP, que passaram a integrar o portfólio em 2008, também impulsionou o crescimento nos últimos anos.

As ferramentas IP incrementaram uma oferta já composta por produtos para cabeamento estruturado, direcionados a aplicações de dados, voz, vídeo, controles prediais e data centers e redes industriais de fabricantes diversos.