O litoral do Rio Grande do Sul vai virar um hostspot.

Nessa quinta-feira, 19, o governo estadual inaugura projeto piloto que levará Wi-Fi gratuito a uma área de 1,2 mil metros na faixa de areia em Capão da Canoa, no Litoral Norte.

A extensão conectada fica nos arredores da Casa do Governo, centro de serviços do executivo, nas proximidades do antigo Baronda, na área mais concorrida da praia.

É o ensaio para o veraneio de 2013, quando o projeto, que hoje cobre cerca de 7% do litoral de Capão, será ampliado para outras praias.

Sol, mar e 4 mega
Instalada pela Procergs, a rede oferece de 4 Mbps de velocidade com duas antenas. O sinal terá alcance de 600 metros na lateral e mil metros à frente, em direção ao mar, em cada uma delas.

“Se um surfista, surfando, quiser acessar e-mail do smartphone nessa rede, consegue”, promete César Telles, assessor técnico da presidência da Procergs, parceira da Secretaria de Comunicação e Inclusão Digital (Secom), no projeto.

Desde o mês passado, técnicos têm validado o equipamento quanto à emissão do sinal, com altas cargas de dados, e também em relação à resistência a fatores climáticos locais – maresia, calor, chuvas, areia.

“Era pra se estressar na praia mesmo”, brinca Telles.

Sem briga com as teles
Tipos diferentes de proteção foram avaliados, até chegar ao projeto final, com duas antenas de 90 graus, cujo sinal fica concentrado nas áreas à frente e nas laterais do equipamento.

“Não queremos conflitar com as ofertas comerciais já existentes na praia”, frisa o assessor.

Apesar da boa intenção, somente em Capão da Canoa há pelo menos três “concorrentes” do sinal de Wi-Fi na faixa de areia: Claro, Vivo e Oi. Hoje, conforme levantamento do jornal Zero Hora, 55% das principais praias gaúchas têm duas ou mais operadoras com a tecnologia 3G.

Litoral iluminado
Invasões na praia alheia à parte, a ideia é, segundo Telles, levar o Internet Livre na Praia, a “todas as cidades em que a operação Verão Numa Boa tiver ações”.

Na prática, pelo menos os veranistas de Capão da Canoa e do Cassino (no litoral Sul) terão Wi-Fi garantido à beira-mar, já que os dois municípios abrigam casas do governo.

O restante da lista é vago.

Segundo a assessoria do Verão Numa Boa, a ação ocorre “em todas as praias” do estado, considerando-se desde telecentros a brigadianos patrulhando as ruas ou na faixa de areia.

Mas a expectativa é de que pelo menos algumas das cidades mais procuradas, como Torres e Tramandaí, além de praias de água doce – Laranjal e São Lourenço do Sul – entrem no mapa do Wi-Fi.

“Vamos fazer uma grande iluminação nas praias”, garante Telles.

A Procergs também promete um sinal forte. Segundo Telles, os equipamentos têm 19 dBi, enquanto que uma antena doméstica geralmente tem 3dBi, o que garante a qualidade da transmissão.

Migrando com o veranista
Nessa primeira fase, a rede fica ativa até 15 de março, quando se encerra a operação Verão Numa Boa – que leva serviços e do governo à praia, acompanhando a migração dos gaúchos.

Dados da Concepa, concessionária da BR-290, via de acesso ao litoral norte, chegou a registrar 70 mil veículos rumo ao mar em finais de semana.

Telles ressalta que grande parte do equipamento necessário para o projeto vem do próprio acervo da Procergs, mas algumas antenas foram adquiridas.

Com a expansão do internet na praia, antenas, roteadores e switches deverão ser realocados para outros locais públicos fora da temporada de verão.