Operadoras de telecomunicações encabeçam a lista de empresas com maior número de reclamações no Procon de Florianópolis em 2011.

Segundo a relação divulgada pela entidade, foram 19.145 atendimentos.

Desses, 1.199 foram reclamações contra a TIM (líder de mercado com 38,73%, segundo números da Anatel para o mês de outubro, o último dado disponível), outras 671 foram relativas à Oi, 517 sobre serviços da Claro e 514 da NET.

Multas e queixas
Ter quase o dobro de queixas em relação à segunda colocada custou à TIM multas e interdições em Florianópolis ao longo do ano.

No mês de abril, a empresa foi multada em R$ 1 milhão pelo descumprimento de uma determinação que impunha uma proibição de comercialização em lojas da marca. A ordem teria sido descumprida, levando à penalização.

Sete meses depois a empresa voltava a ter problemas com o Procon, sendo notificada por “inúmeras reclamações” referentes aos serviços da operadora.

B2W mal na foto
Em quinto lugar na lista está a B2W, empresa por trás de marcas do varejo online como Submarino.com, Americanas.com e Shoptime.com.

O trio foi alvo de ações do Procon paulista no mês passado, que ameaçou fechar as operações dos sites por 72 horas em função de problemas na entrega de encomendas feitas pela ferramenta online.

Resolvendo tudo em casa
Em quatro anos de funcionamento, informa o Procon florianopolitano, o órgão alcançou um número recorde de processos atendidos resolvidos na própria entidade: 94%.

Na prática isso significa que essas reclamações não precisaram ser encaminhados ao Ministério Público ou para o Juizado Especial de Pequenas Causas.

“Acredito que com isso contribuímos de uma certa maneira para que desafogue o poder judiciário”, coloca Tiago Silva, diretor do órgão municipal.

Completam a lista Santander (6º), Itau (7º), Bradesco IBI (8º), BV Financeira (9º), Vivo (10º), Banco BMG (11º), Casan (12º), Celesc (13º), lg (14º) e Samsung (15º).