Foi aprovada a minuta do leilão do 4G no Brasil.

A Anatel, no entanto, excluiu do texto qualquer menção quanto aos indicadores de qualidade do serviço Internet a ser prestado para os consumidores, ressalta o site Convergência Digital.

O conselheiro Rodrigo Zerbone alegou, segundo o site, que não se fez menção da qualidade por se entender que as empresas já estão cientes de antemão que terão de cumprir o que manda os regulamentos em vigor para o SPM e o SCM.

O texto da minuta de edital ainda será levada à consulta pública, que terá duração de 30 dias, a contar de sua publicação no Diário Oficial da União.

Na apresentação do seu parecer, Zerbone solicitou que durante esse período, pelo menos, duas audiências públicas, venham a ser realizadas – em Brasília e São Paulo.

Dentro do 4G, as conexões serão em média dez vezes mais rápidas que a atual tecnologia mais usada (3G), usando as frequências da faixa de 2,5 gigahertz.

O leilão está previsto para abril.

Entre as operadoras, há divergência quanto à data. A Claro é a única entre as maiores que defende o leilão no prazo. Já TIM  e Vivo defendem o adiamento, alegando que é necessário investir mais em 3G primeiro.

Independente de quem arrematar algum lote dessa frequência, ele terá vários compromissos nacionais de abrangência do serviço. O primeiro será para a Copa das Confederações, em junho de 2013. As seis sedes do torneio deverão ter 4G até o início dos jogos.

Leia a matéria completa do Convergência Digital nos links relacionados abaixo.