O governador Roberto Requião instituiu nesta terça-feira, 19, o Sistema de Telecomunicações do Paraná, rede de integração de dados, voz e imagens que será aplicada tanto a órgãos do estado quanto a programas de inclusão social e digital.

A estrutura, assinada pela Celepar e diversos fornecedores, mira a redução de gastos: só com migração de circuitos de dados das operadoras para a rede de fibra óptica da Companhia Paranaense de Energia Elétrica (Copel), a expectativa é economizar 76%, ou R$ 86 milhões, por ano.

A substituição dos circuitos utilizados atualmente pela rede de fibra óptica também permitirá o aumento de velocidade de transmissão de dados dos atuais 312 Kbps para 1 Mbps, em média. O custo, em contrapartida, reduzirá em cerca de sete vezes. Tomando por base os preços atuais praticados pelas operadoras deste tipo de serviço, o valor que ficaria em torno de R$ 9,42 milhões/mês cai para R$ 2,17 milhões/mês.

Além disso, o sistema inclui utilização de telefonia sobre IP entre os órgãos do governo. Com isso, a estimativa é que os custos com tarifas telefônicas reduzam substancialmente.

Uma das iniciativas paranaenses mais beneficiadas pelo novo sistema será o Programa Paraná Digital, que propicia o acesso de estudantes e professores da rede pública à Internet. Atualmente, são 2.118 laboratórios de informática em funcionamento nas 2.100 escolas paranaenses, sendo 1.234 conectados à rede de fibra óptica da Copel e 880 com conexão via antena. Além disso, todas as escolas estão equipadas com aparelhos de TV com entrada USB, o que permite a reprodução de conteúdos com textos, sons e imagens nas salas de aula.

O desenvolvimento do sistema envolve a participação da Celepar, Copel e Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento (Lactec). A primeira responde pela coordenação geral do projeto e desenvolvimento do sistema central de telefonia IP e PABXs-IP, baseado no softwares livres Openser e Asterisk, respectivamente.

A Companhia também instalará e gerenciará os sistemas telefônicos do governo. Já a instalação e operação da rede de transmissão de dados fica com a Copel.

“Uma das vantagens que a Celepar possui para coordenar um projeto desse porte é que a empresa já administra toda a rede corporativa de dados do governo, com 3.815 circuitos de dados", conta Cláudio Crossetti Dutra, diretor de Serviços IP e Multimídia da estatal.

Conforme Dutra, a utilização de software livre nos sistemas comentados já rendeu ao Paraná uma economia de mais de R$ 150 milhões somente em licenças de uso.

A Copel, por sua vez, que atende 90% da população concentrada em 49% dos municípios paranaenses, possui um anel com mais de 5 mil quilômetros de fibra óptica, com capacidade de altas taxas de transmissão, o que permite a implantação de aplicações avançadas como as de Voz sobre IP, telemedicina, ensino à distância e vídeo-conferências.