A velocidade do acesso à internet no Brasil teve um aumento tímido entre o segundo e o terceiro trimestre de 2010, segundo a pesquisa Estado da Internet, divulgada pela Exceda, representante da Akamai na América Latina.

Percentualmente, a variação foi de 7,1%. A média em megabits por segundo passou de 1,4 Mbps para 1,5 Mbps. Já a velocidade de pico passou de 5,6 Mbps para 6,8 Mbps – alta de 21%.

Para o  diretor de Marketing e Vendas da Exceda, Ricardo Couto, o cenário é promissor para os internautas brasileiros.

“Estes números mostram que em pouco tempo o Brasil estará apresentando conexões superiores a 2Mbps, o que aponta o melhoramento dos serviços e das redes de Telecomunicações”, diz.

Atualmente, acrescenta Couto, apenas o Chile apresenta índices superiores, com 2Mbps, em toda a América Latina.

Alta de 8,3% em IPs únicos
Entre julho e setembro de 2010, foram registrados 13 milhões de IPs únicos no país durante o terceiro trimestre de 2010. Três meses antes, aponta a Exceda, o país tinha 12 milhões de conexões, ocupando a mesma posição no ranking, um avanço de 8,3%.

O Brasil também aparece no relatório como um dos maiores originadores de ataques a sites, ocupando o quarto lugar na lista, representando 7,9% – no trimestre anterior, o país era o quinto, com com 6% dos ataques.

Na Internet móvel, o país apresentou um aumento na média e picos de conexões (Kbps), além do aumento na média mensal em volume de  dados em Megabytes.

Durante o terceiro trimestre de 2010, a Akamai observou que, em relação ao tráfego de ataque, com origem em 209 países em todo o mundo, os Estados Unidos permaneceram no primeiro lugar, respondendo por cerca 12% dos ataques.

A Rússia (8,9%) e a China (8,2%) trocaram de lugar, agora, em segundo e terceiro lugares, respectivamente.

Já em relação aos números divididos por continentes, a África e a América do Sul registraram crescimento no tráfego de ataques. Enquanto o primeiro cresceu de 2% para 4%, os números sul-americanos passaram de 12% para mais de 15%.

No terceiro trimestre de 2010, um provedor móvel na Rússia se tornou aquele com a maior média de velocidade de conexão, alcançando cerca de 6 Mbps.

O provedor mais lento vem da Eslováquia, com 143 Kbps.

Além disso, do total de 111 provedores móveis analisados, 23 apresentaram conexões banda larga de 2 Mbps ou superiores, enquanto que 34 apresentaram velocidades de 1 Mbps ou superior.

A Akamai elabora o relatório a partir de medições efetuadas em suas redes instaladas em 72 países e compostas por mais de 80 mil servidores de distribuição de conteúdo.