A TIM instalou pontos de wifi nos aeroportos de Guarulhos e Congonhas, em São Paulo, Galeão e Santos Dumont, no Rio de Janeiro.

 
A iniciativa visa “turbinar” o acesso 3G dos clientes, dentro dos planos de tarifas e franquias já contratados.
 
A cobrança será de acordo com o plano a que o usuário estiver vinculado: R$ 0,50 por dia no caso do Infinity Pré e Controle, e R$ 29,90 pelo Liberty. 
 
Obedecerá também ao limite de dados acordado, ou seja, 10 MB diários para os dois primeiros e 300 MB por mês para o último.
 
A iniciativa faz parte do plano da TIM de espalhar 10 mil hotspots pelo Brasil até o fim deste ano. 
 
Além de atrair mais assinantes, o modelo deverá ajudar a operadora a desafogar sua rede, preocupação que atinge também suas concorrentes.
 
O Brasil fechou 2011 com 38,9 milhões de usuário 3G, 130% a mais do que em 2010.
 
E a Infraero?
Em dezembro, a Infraero divulgou que todos os aeroportos brasileiros teriam internet sem fio com acesso ilimitado até março de 2012.
 
Os aeroportos que receberiam a novidade são os de São Paulo (Cumbica, Congonhas, Viracopos e Campo de Marte), Rio de Janeiro (Galeão, Santos Dumont e Jacarepaguá), Belo Horizonte (Confins e Pampulha), Brasília, Manaus, Porto Alegre, Curitiba, Recife, Fortaleza, Natal, Salvador e Cuiabá.
 
Atualmente, Cumbica, Congonhas, Galeão e Brasília já contam com 15 minutos de internet gratuita.
 
Não é a primeira vez que surge a promessa de conexão gratuita nos aeroportos. 
 
Em junho de 2011, a então recém-empossada ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffman, afirmou que a conexão começaria a estar disponível em grandes aeroportos a partir do mês seguinte. 
 
A determinação seria da própria presidente Dilma Rousseff.
 
Em outubro de 2008, a Infraero anunciou que até o final daquele ano 13 aeroportos teriam Internet sem fio gratuita em toda a área do aeroporto, inclusive nas salas de embarque.
 
A previsão era no momento que o serviço atingisse todos os 67 aeroportos administrados pela agência estatal.