Amos Genish

A GVT acaba de registrar o melhor primeiro trimestre de sua história, com receita líquida de R$ 513,4 milhões, 36,5% maior do que um ano antes, e recorde na adição de linhas à base de clientes – tanto em serviços de voz como de banda larga. Ao final de março, a operadora somou 3,1 milhões de linhas ativas.

Entre janeiro e março deste ano, 301,4 mil novas linhas foram adicionadas à base da GVT, um crescimento de 59,9% em relação ao mesmo período de 2009. Do total, 132.392 são de voz, 78.465 de ADSL, 88.548 de dados corporativos e 8.205 de VoIP, com redução equivalente a 6.207 linhas no negócio de provedor de Internet grátis, que tem perdido espaço para a banda larga.

“A penetração de banda larga entre os clientes do segmento de varejo saltou de 70% para 80% em um ano. A utilização de velocidades de 10Mbps e acima continua evoluindo e atingiu 45% da base de clientes ao final de março contra 9% no mesmo período do ano passado”, conta o presidente da empresa, Amos Genish.

Ainda segundo ele, em vendas, a preferência pelas velocidades a partir de 10Mbps, chegou a 72% no fechamento do trimestre.

Ainda no 1T10, o Ebitda ajustado da empresa (resultado antes dos juros, Imposto de Renda, depreciação e amortização) aumentou 46,8%, chegando a R$ 207,1 milhões, o que representa 40,3% de margem e crescimento de 2,8 pontos percentuais sobre a margem do mesmo período de 2009.

O lucro líquido pro forma, desconsiderando a antecipação do pagamento da dívida em dólar (Sênior Notes) que venceria em junho de 2011, foi de R$ 60,4 milhões, 132% maior que no fechamento do primeiro trimestre do ano passado.

“O momento é de forte crescimento na economia brasileira e reflete positivamente no interesse do consumidor pelos nossos serviços e no maior volume de negócios realizados no setor empresarial”, analisa Genish.

Com isso, o executivo anuncia perspectivas otimistas para o restante do ano: a projeção da GVT é crescer 29% em receita líquida em 2010, com elevação de 35% no Ebitda ajustado, na comparação com 2009.

Aceleração do crescimento
Desde a implantação da portabilidade numérica,  a GVT tem mantido a liderança em números portados nas cidades em que opera.

Até o final de março, 61% de todos os números de telefones fixos portados migraram para a empresa, que fechou o trimestre com taxa de recepção/doação de aproximadamente 11:1.

Também no trimestre, a GVT realizou investimentos de R$ 172,6 milhões no país, 63,9% a mais do que no mesmo período do ano passado.

Entre janeiro e março, foram construídos 171.904 pontos de rede para atender ao plano de expansão geográfica da companhia, aumentando a cobertura nas cidades onde já opera.

O percentual de receita gerada pelas cidades fora da área original de atuação (Sul, Centro-Oeste e parte do Norte) saltou de 15,4% ao final de março de 2009 para 25,2% em março deste ano.

Parte dos acessos entregues no trimestre está em três novas cidades na região Nordeste lançadas em abril – Fortaleza, João Pessoa e Campina Grande. Juntos, os municípios somam 3,5 milhões de habitantes.

A implementação consumiu investimento de R$ 95,1 milhões na construção da rede com capacidade de 107 mil acessos de banda larga e de voz, o correspondente a 30% de cobertura geográfica dessas localidades.

Ainda este ano, a GVT se lançará em cidades adicionais no Sudeste e Nordeste do país. E para suportar o crescimento, a empresa aprovou ampliação de 25% no investimento previsto para 2010: em reunião do Conselho de Administração realizada na quinta-feira, 22, foram aprovados R$ 200 milhões adicionais.

Somado aos valores aprovados anteriormente divulgados, este montante acumula um total de R$1,1 bilhão em investimentos a serem realizados pela operadora até dezembro.

Presente em 89 cidades do Sul, Centro-Oeste, Sudeste e Nordeste do país, a empresa opera, além da GVT, as marcas Vono e Pop.