A Procempa fechou 2011 com faturamento de R$ 114 milhões, uma alta de 7% frente aos resultados do ano anterior.

Do total da receita da estatal municipal de processamento de dados, 10% vieram de serviços prestados à iniciativa privada, o que totaliza R$ 11,4 milhões.

O faturamento mais que dobrou desde 2004, quando a companhia fechou o ano com R$ 48 milhões.

Em nota, a Procempa destaca a importância da “comercialização da infraestrutura excedente” que teria permitido à empresa fazer investimentos com recursos próprios.

Entre as realizações apontadas pela empresa estão a cobertura de 98% do município através dos 670 km da Infovia, além da construção de um novo data center.

A interligação de oito mil ramais dos órgãos ligados à prefeitura, por meio da implantação de rede digital de telefonia gera economia à cidade na ordem de R$ 9 milhões ao ano.

O projeto de VoIP foi finalizado em meados de 2011, com recursos da ordem de R$ 3,5 milhões da secretaria da Saúde.

Outro projeto que envolve a estatal é o da nota fiscal eletrônica de serviços (NFS-e).

Investimento de R$ 5 milhões, o sistema, adotado da empresa de processamento de dados de Belo Horizonte (Prodabel) resultará em cerca de R$ 3 milhões em aportes para a Procempa.

O valor será aplicado na compra de infraestrutura para suportar a implementação do sistema.

Prêmios
Em junho de 2011, a empresa foi eleita a terceira melhor cidade digital do Brasil, depois de ser avaliada por metodologia criada pelo CPqD em critérios como infraestrutura tecnológica, disponibilidade de serviços digitais e recursos de acessibilidade.

Em setembro de 2011, a cidade espanhola de Bilbao concedeu a Porto Alegre, por meio da Procempa, o Prêmio Iberoamericano de Ciudades Digitales, pelo Projeto de Telemedicina na categoria especial de TIC e Saúde.