As operadoras de telefonia já oferecem serviços de banda larga em 97 das 100 cidades contempladas pelo Plano Nacional de Banda Larga (PNBL). 

 
A informação é do Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil), que garante ainda que a inicativa privada deverá bater a meta do governo de chegar a 4.283 municípios até 2014 já em dezembro.
 
Atualmente, as redes fixas de banda larga já estão presentes em mais de 4,8 mil municípios e, segundo o SindiTelebrasil, as empresas instalarão suas redes (backhaul) em todos os 5.565 municípios brasileiros até fim do ano.
 
A entidade critica que, além de demandar a duplicação da infraestrutura já existente, a lista divulgada hoje pelo governo contempla cidades com média de Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de 0,7, considerado médio-alto numa escala que vai de zero a um. 
 
Segundo o SindiTelebrasil, esse critério diverge de uma das premissas do PNBL, que era de atender municípios com menor IDH.
 
Outro alvo de divergência é a inclusão na lista de cidades como Campinas, Guarulhos , São Gonçalo e Juiz de Fora, com alta renda per capita e alto IDH. Segundo o SindiTelebrasil, além de banda larga fixa, pelo menos três operadoras móveis ofertam serviços de internet rápida pelas redes de terceira geração (3G).
 
Sobre o critério usado pelo governo de seleção de cidades que estão num raio de 50 quilômetros dos chamados Pontos de Presença (PoP), que dão acesso à rede principal de fibras ópticas (backbone), o SindiTelebrasil critica que a lista deixou de fora pelo menos 89 municípios que estão dentro desse raio e ainda não dispõem de serviços de banda larga.
 
Ao longo do primeiro semestre foram ativados 7,7 milhões de novas conexões de internet rápida, entre acessos fixos, celulares 3G e modens de conexão à internet. O crescimento no semestre foi de 42% em relação a dezembro de 2009, que registrou 18,4 milhões de acessos, segundo o SindiTelebrasil.