Dobrar a velocidade da banda larga pode resultar em aumento de 0,3% no PIB de um país.

A afirmação consta em relatório da Ericsson, consultoria Arthur D. Little e Universidade de Tecnologia de Chalmers, realizado em 33 países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

O estudo quantifica o impacto isolado da velocidade da banda larga na economia.

Segundo a pesquisa, a alta de 0,3% no PIB dos países da OCDE é equivalente a US$ 126 bilhões, o que corresponde a mais de 1,7 da taxa média de crescimento anual da OCDE na última década.

O estudo mostra também que duplicações adicionais da velocidade da banda larga geram crescimentos superiores a 0,3%.

Tanto a disponibilidade como a velocidade da banda larga são fortes indicadores de uma economia.

No ano passado, a Ericsson e a Arthur D. Little concluíram que para cada 10 pontos percentuais de aumento na penetração da banda larga, o PIB aumenta 1%.

Esse crescimento é resultado de uma combinação de efeitos diretos, indiretos e induzidos. Os efeitos diretos e indiretos fornecem um estímulo de curto a médio prazo na economia.

Enquanto isso, o efeito induzido, que inclui a criação de novos serviços e negócios, é a dimensão mais sustentável e pode representar quase um terço do crescimento do PIB mencionado.

O estudo é o primeiro desse tipo que quantifica o impacto econômico do aumento da velocidade da banda larga, a partir de um método científico abrangente que utiliza dados públicos disponíveis.