Carlson Aquistapasse

Tamanho da fonte: -A+A

A Procergs vai tomar conta das telecomunicações públicas do Rio Grande do Sul.

O plano, chamado de Infovia RS, foi apresentado nessa quarta-feira, 28, pelo presidente da estatal, Carlson Aquistapasse.

Com investimento estimado em R$ 44,9 milhões, a economia projetada com os serviços de telecom para os órgãos públicos estaduais é de R$ 91,6 milhões em três anos.

Aos poucos, contratos com fornecedores atuais desses serviços devem ser abandonados. “São serviços caros e que a estatal terá como dar conta sozinha”, diz Aquistapasse.

Um dos exemplos de economia citados pelo presidente da Procergs é a substituição da voz por VoIP.

Os recursos para a primeira etapa serão do caixa do próprio do estado. A economia gerada no primeiro ano deve ser incluída no financiamento dos desdobramentos futuros.

Também está em análise o uso de recursos do BID, principalmente através do Projeto de Fortalecimento da Gestão Fiscal do Estado (Profisco-RS), programa focado na modernização da estrutura fazendária, que já tem uma dotação de  R$ 105,7 milhões.

De um para alguns mil

Aquistapasse não abre os números exatos, mas garante que o upgrade será perceptível: “em escala, vamos sair de um para alguns mil”.

“Estamos falando em gigas de transmissão. Na última milha, vamos entregar de 10 Mbps para mais em escolas públicas estaduais, por exemplo”, completa.

Nos quatro backbones do Rio Grande
Serão quatro etapas de expansão da rede (confira o mapa abaixo), em parceria com a Telebrás, que entrará com o sinal, iluminando a estrutura de cabos já existente de empresas como CEEE e Sulgás.

Na primeira, que deve ser completada até dezembro de 2012, as cidades de Guaíba, Camaquã, Pelotas, Bagé e Rio Grande devem ser conectadas.

“Queremos chegar até o porto de Rio Grande o quanto antes para ajudar no desenvolvimento da região”, justifica Aquistapasse.

Para chegar nos estaleiros da Petrobras, será utilizada a rede da CEEE que parte da Região Metropolitana até Pelotas, chegando a Rio Grande. O outro lado da Lagoa dos Patos será conectado via rádio, levando o sinal a municípios como Tavares e São José do Norte.

“De lá, vamos para Bagé”, diz Aquistapasse.

Em Bagé, 23 escolas públicas participarão do programa Um Computador por Aluno, que além das máquinas contará com os 10 Mbps de conexão da Infovia-RS.

Somente nas conexões da Zona Sul serão 27 cidades, 78 órgãos e 245 pontos conectados.

A segunda etapa, de Porto Alegre a Uruguaiana em parceria entre CEEE e GVT, se completará em março do ano que vem. Até dezembro de 2012, as linhas entre Passo Fundo e Uruguaiana devem ser completadas, com a rede da Eletrosul, iluminada pela Telebras.

Finalizando o cronograma do projeto, uma linha entre Bagé e Alegrete deve fechar o anel ótico no estado, com a extensão de uma linha da Telebras.

Na ponta do lápis, os gastos com comunicação de dados e telefonia fixa entre 2012 e 2014 do estado, que seriam de R$ 203,91 milhões, ficarão nos R$ 108,28 milhões com a Infovia-RS, e a própria economia dos recursos será usada para financiar parte dos investimentos.

Para 2011, quando a Infovia não estará implementada, os gastos com comunicação de dados, telefonia fixa e móvel e internet são previstos em R$ 57 milhões.