Experiência de usuário, e não preço, é o principal entrave à troca de um smartphone no Brasil.

A conclusão está em estudo da consultoria de mercado GfK, na qual 41% dos entrevistados relatam que o medo de desorganizar a configuração com que já estão acostumados é uma barreira forte na hora de trocar o modelo atual.

Outros empecilhos são aprender a lidar com um novo celular inteligente (38%) e migrar conteúdo de um aparelho para o outro (28%).

No mundo, os índices são 33% (reorganização), 29% (aprendizado) e 28% (migração de conteúdo).

O estudo foi realizado em nove países: Brasil, China, França, Alemanha, Japão, Itália, Espanha, Reino Unido e os Estados Unidos.

“Aqueles consumidores que se sentem satisfeitos com sua configuração atual terão dificuldade em experimentar uma nova plataforma e, quanto mais serviços usarem, maior sua fidelidade a uma marca”, comenta Leonardo Melo, Gerente de Atendimento da área de Business & Technology da GfK Brasil.

Segundo o relatório, foi observado que a fidelidade à marca de smartphone aumenta conforme aumenta a quantidade de aplicativos usados. O ponto de virada para essa fidelidade é quando o consumidor usa sete ou mais serviços em seu dispositivo.

Os consumidores nos Estados Unidos são os mais propensos a usar sete ou mais serviços (61%), seguido de perto pela China (56%) e Brasil (53%).

Em contrapartida, os consumidores europeus utilizam menos serviços em seu smartphone: França e Itália (46%), Alemanha (45%), Espanha (43%) e Reino Unido (42%).

Pra Melo, o fabricante de smartphone que criar uma experiência harmoniosa para o usuário será capaz de aumentar a fidelidade deste consumidor, e isso também ocorre cada vez mais com tablets.

“Aquelas que ocupam posições de destaque no mercado, que criam experiências incríveis aos seus usuários, estão potencialmente na posição mais forte, e será difícil desafiá-las para ganhar participação de mercado”, completa o gerente.

O relatório da pesquisa da GfK sobre experiência do usuário e fidelidade ao ecossistema foi realizada pela área de Business & Technology da GfK.

Inclui a opinião de 4.257 proprietários de smartphones em nove países, entrevistados entre 17 e 28 de outubro de 2011, utilizando técnicas de entrevista on-line com adequação a cada país.