A Haco, empresa de Blumenau especializada em etiquetas tecidas, acaba de entrar no segmento RFID. As novas etiquetas da empresa surgem após cerca de seis anos de pesquisas, participação em eventos e visita a fornecedores internacionais desta área, segundo o diretor da companhia, Alberto Conrad Lowndes.

“Trabalhamos durante anos estabelecendo parcerias para o desenvolvimento de produtos RFID. Hoje, somos capazes de apresentar ao mercado soluções completas”, afirma o executivo. “Agora, qualquer item que possuir nossas etiquetas RFID pode ser identificado sem a necessidade de contato visual, dentro de caixas, por exemplo, o que agiliza o processo de logística”, complementa.

Outra vantagem ressaltada pelo diretor é a possibilidade de reutilização dos chips, ao contrário do que acontece com as etiquetas de código de barras, que, uma vez impressas, não podem sofrer modificação.

Além disso, as etiquetas com rádio frequência podem ser utilizadas para a segurança dos produtos.

“O RFID cria uma identidade única na peça e, assim, cada etiqueta se torna uma ferramenta para combater a falsificação”, destaca Lowndes.

A radio freqüência também possibilita que estilistas e designers de moda participem, virtualmente, da venda de seus produtos. Por exemplo: o cliente escolhe um item, leva ao provador e lá recebe a ajuda automática do sistema, que irá identificar possíveis combinações entre outros produtos, utilizando dados fornecidos pelos estilistas e designers e concentrados em um banco de dados.
 
As etiquetas também permitem monitorar as prateleiras dentro das lojas. “O sistema faz o reconhecimento de quantas vezes um determinado item foi retirado e colocado de volta na prateleira, indicando ao lojista saída e rotatividade dos produtos”, destaca Fabiano Holetz, coordenador técnico da unidade RFID Haco.