Marcelo Safatle, diretor executivo da empresa, promete conexão mais barata e de qualidade para o Sul

Tamanho da fonte: -A+A

Novo PIX do PTTMetro, um dos maiores pontos de troca de tráfego da internet brasileira, a Hostlocation planeja uma estratégia agressiva para o mercado de webhosting no sul do Brasil: preços até 50% menores que a concorrência.

A empresa foi escolhida recentemente como ponto de interconexão de redes (PIX) do PTT – ou seja, uma empresa que possibilita a conexão de outras à rede do backbone, situado em São Paulo.

Segundo Marcelo Safatle, diretor executivo da empresa, o barateamento se deve à infraestrutura de fibra ótica e data center próprios da companhia, além de acordos para extensão do serviço.

A oferta, completa o executivo, dará melhor desempenho de rede do que bandas de um terceiro, pois terá o caminho é mais curto até o local onde as operadoras trocam tráfego.

“No sul o custo da oferta desse tipo de serviço é muito alto pela falta de concorrência. Agora, nós poderemos oferecer o link com preço e qualidade de São Paulo”, destaca o diretor.

Atualmente, diz o Safatle, um provedor de internet no sul do país compra conexões de grandes operadoras por preços que ultrapassam R$ 500 por megabyte.

A promessa da Hostlocatin é cobrar até a metade.

Além disso, a empresa oferece ativação imediata do link, e não cobra pelo uso do cross connection ou do golden jumper – espécie de taxa de entrada no backbone – que normalmente custa R$ 2 mil por mês.

Com a oferta, a Hostlocation mira na demanda de pequenos e médios provedores que estão investindo no aumento de suas estruturas por conta dos incentivos do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL).

O impacto da entrada no PTTMetro, diz Safatle, já provocou alta de 40% na procura por links por empresas do Sul.

Atualmente, a conexão chega até Porto Alegre, através de contratos de swap com parceiros.

Com 12 anos de atuação, a empresa ficou em quinto lugar no ranking das 10 maiores empresas focadas em hospedagem de aplicações web da revista especializada Série Estudos, com crescimento de 10,4% em relação a 2008 e share de 2%.

Entre os clientes da empresa estão Fiat, Kyocera e Elgin.