O volume gigantesco de dados movimentado mundialmente pelos usuários de dispositivos móveis impulsiona a estratégia da Oracle no mercado de Telecom – uma das verticais TOP 3 para a companhia, ao lado de varejo e finanças.

“Nos últimos três anos, foram baixadas mais de 300 mil aplicações móveis, mais de 19 bilhões de vezes, segundo dados do IDC”, afirma Arturo Pereira, diretor de Marketing e Desenvolvimento de Negócios da Unidade de Comunicação da Oracle para a América Latina.

Os dados constam também no segundo relatório anual “Oportunidade: o futuro das comunicações móveis”, que a Oracle realizou com entrevistas junto a 3 mil usuários de celulares de todo o mundo.

Na pesquisa, segundo Pereira, foi detectado que uma das grandes preocupações dos usuários é com a segurança dos dados.

“Apenas 32% acreditam que é seguro armazenar ou transmitir informações pelo seu telefone celular”, destaca o diretor. “Os clientes estão mais dispostos a compartilhar sua localização com aplicativos móveis do que eram há um ano, e um maior número está usando celular para compras online, mas  menos estão confortáveis em comprar em lojas usando o fone para pagar, preferindo dinheiro ou cartão de crédito”, completa.

Nisso, segundo Pereira, reside uma oportunidade de mercado para as operadoras – das quais, 100% das maiores do mundo são clientes Oracle, garante o diretor.

Para ele, os prestadores têm de investir em duas frentes: tecnologia, tanto na área de infraestrutura, quanto na oferta de dispositivos e software para fornecimento de serviços; e educação do consumidor.

“É possível educar o cliente por diversos canais, já que 73% deles nos disseram acessar, via web móvel, sua prestadora de serviços ao menos uma vez ao mês e 84% o fazem nos pontos de varejo”, conta o executivo.

Para identificar este comportamento e preparar ofertas certeiras, Pereira indica o uso do CRM – oferta que a Oracle também trabalha junto às operadoras, assim como serviços de provisionamento, billing, entre outros.

Já no caso dos dispositivos, para Pereira a tendência é a convergência.

Até 2015, segundo ele, mais de 50% dos entrevistados pretendem não ter mais de um aparelho para funções de telefone, câmera, tocador de música e vídeo, GPS e outras funções.  

“Hoje, 34% dos entrevistados diz já ter substituído seu iPod/MP3 player pelo telefone móvel. Já no caso do GPS, 24% fazem isso e, com as câmeras, o número chega a 43%”, destaca, citando dados da pesquisa da Oracle.

A pesquisa da Oracle foi feita via entrevista online, com três mil usuários de telefone celular de todo o mundo em julho de 2011.

Dos respondentes, 20% são da América do Norte, 20% da Europa, 20% da região Ásia/Pacífico, 20% da América Latina e 20% do Oriente Médio. Além disso, 57% são homens e 43%, mulheres.

O estudo da Oracle pode ser conferido na íntegra pelo link abaixo.