Paulo Miranda, presidente da Procempa. Foto: Cesar Lopes/PMPA.

A Procempa está recebendo propostas para uma licitação de fábrica de software no total de 11 mil pontos de função, mais 15 mil horas de consultoria em diversos temas.

O contrato com a estatal municipal de processamento de dados de Porto Alegre vale para 36 meses, podendo ser prorrogado até 60 meses.

Em dezembro, a Procempa realizou uma audiência pública sobre a licitação, na qual participaram DBServer, Connectis, CTIS e Stefanini. O interesse indica que elas são prováveis participantes da disputa.

A maior parte dos pontos de função, 8 mil ao todo, são para desenvolvimento e manutenção na plataforma Java e Front-End. 

Também está prevista a contratação de Android, iOS e Ionic (1 mil pontos), PHP (1 mil), Delphi (600) e configuração de produtos de middleware (400).

Em termos de consultoria, a maior parte será para “implementação em BI e Big Data”, totalizando 10 mil horas. 

O contrato também envolve BPMN, com 4 mil horas e implementação de portais web, com 1 mil, além de quantidades menores para outras tecnologias.

“A contratação da fábrica de software eliminará um dos gargalos da empresa que é a limitação de recursos de desenvolvimento de sistemas. A fábrica terá capacidade para absorver volumes variáveis de demanda criados por novos projetos. Este é um grande avanço para a Procempa”, destacou o presidente da companhia, Paulo Miranda.

Segundo o diretor técnico da Procempa, Alexandre Horn, será possível aumentar a quantidade de desenvolvedores, analistas, projetistas de sistemas, sem onerar os custos de administração de pessoas na Procempa e, ao mesmo tempo, acompanhar as curvas de demandas de Projetos da cidade. 

“É uma tendência que vem para definitivamente otimizar a prática de gestão de escopo, qualidade e custos, aderindo a um conceito ágil e eficiente para controle de resultados”, afirma Horn.

De acordo com o que o Baguete pode apurar com fontes de mercado, essa é a primeira grande licitação da Procempa para fábrica de software, com um valor final que deve girar entre R$ 5 milhões e R$ 10 milhões.

Documentação e propostas serão recebidas na Procempa até o dia 17 de abril.