Cristiano Lincoln Mattos, CEO e sócio-fundador da Tempest.

A Embraer assumiu o controle acionário da Tempest, empresa pernambucana que está entre as maiores no setor de cibersegurança do Brasil.

As empresas não revelaram o valor do aporte ou o tamanho da nova participação acionária.

De acordo com o site especializado Brazil Journal, a Embraer tinha 37% do capital de maneira indireta, devido a um aporte de R$ 28,2 milhões feito em 2016 por meio do FIP Aeroespacial, um fundo de venture capital que tem a Embraer e BNDES como principais cotistas.

Ainda segundo o Brazil Journal, a Tempest passou de um faturamento de R$ 20 milhões no primeiro aporte para R$ 120 milhões no ano passado. 

A Tempst tem 300 funcionários em escritórios no Recife, São Paulo e Londres, atende mais de 300 clientes no Brasil, na América Latina e na Europa (a metade deles no setor financeiro, um dos que investe mais pesado em segurança).

"Esta parceria é um marco para a Tempest, e estamos muito entusiasmados com os próximos passos. O mercado de cibersegurança é global e está em franca expansão", afirma Cristiano Lincoln Mattos, CEO e sócio-fundador da Tempest.

Mattos fundou a empresa em 2000 dentro do Porto Digital de Recife junto com dois colegas da Universidade Federal de Pernambuco.

A Tempest tem um portfólio de 70 soluções, envolvendo consultorias, serviços gerenciados de segurança (MSS, na sigla em inglês), integração de softwares de segurança e soluções de proteção de identidade do usuário.

Em 2018 a Tempest anuncia a aquisição da EZ-Security, uma das principais empresas do país na integração de produtos de tecnologia em segurança da Informação, tornando-se a maior empresa especializada em cibersegurança do Brasil.

Empresas do setor de segurança brasileiras tem chamado a atenção de investidores de fora do mercado de TI, desejosos de aprofundar o seu porfólio da área. A Embraer tem uma divisão de defesa e segurança.

Em 2018, a Prosegur, companhia do setor de segurança privada com mais de 175 mil funcionários em 25 países e cinco continentes, também com um negócio digital incipiente, assinou um acordo para adquirir participação majoritária na Cipher, outra grande empresa brasileira da área.