O Mercado Livre quer fazer metade das entregas de encomendas no país em até 48 horas. Foto: Divulgação.

O Mercado Livre vai abrir um centro de distribuição, seu terceiro no país, em Gravataí, na região metropolitana de Porto Alegre. A unidade deve entrar em operação no primeiro trimestre de 2020.

“Isso é parte do nosso planejamento de médio prazo de ampliar mais a nossa malha logística”, diz Stelleo Tolda, vice-presidente do Mercado Livre para América Latina, em entrevista à Reuters.

A abertura do centro faz parte de um pacote de investimento de R$ 3 bilhões previstos para 2019. O movimento deve colaborar com a meta do Mercado Livre de fazer ao menos metade de suas entregas de encomendas no país em até 48 horas.

O grupo conta hoje com um depósito de 111 mil metros quadrados em Cajamar (SP) e uma unidade em Louveira (SP).

Em março, o Mercado Livre levantou quase US$ 2 bilhões em capital. A empresa captou US$ 1 bilhão em ações ordinárias. Depois, seguiu com uma operação de US$ 750 milhões do PayPal e outros US$ 100 milhões do Dragoneer Investment Group.

A competição por entregas em menor tempo se acirrou em setembro com o lançamento do Amazon Prime no Brasil. Pelo serviço da gigante americana de e-commerce, o cliente paga uma mensalidade (R$ 9,90) para ter acesso a frete gratuito e entrega em 48 horas.

Com a assinatura, o cliente do Prime tem acesso também ao Prime Video, serviço de streaming que compete com a Netflix, além do Amazon Music, lançado no Brasil com mais 2 milhões de músicas.

Durante 2018, o Mercado Livre vendeu mais de 334 milhões de itens, totalizando mais de US$ 12 bilhões em volume de mercadorias vendidas. 

As transações de pagamento no Mercado Pago, sua unidade de negócios de pagamentos, aumentaram 70% durante 2018, totalizando 389 milhões de transações e US$ 18 bilhões de volume total de pagamentos.