Fabíola Paes, uma das fundadoras da Neomode.

Tamanho da fonte: -A+A

A Linx, líder em software de gestão para o varejo, fechou a compra de 40% da Neomode, dona de uma solução para a área de e-commerce, por R$ 7 milhões.

A tecnologia da Neomode permite integrar software de gestão (ERP), de ponto de vendas (PDV), plataformas de e-commerce, gateways de pagamento e outras soluções baseadas na nuvem.

Com a compra, a Linx fortalece a sua própria plataforma, agregando mais funcionalidades do tipo que permitem os clientes comprarem na Internet e recolherem a mercadoria em lojas físicas.

A Linx tem 45,6% do mercado de software de gestão para o varejo, de acordo com a International Data Corporation (IDC).

Fundada em 2016 em Curitiba, a Neomode tem cerca de 60 funcionários e espera faturar R$ 7,5 milhões neste ano.

Em seu site, a Neomode destaca clientes como Chilli Beans, Via Veneto e Osklen, entre outros.

Os fundadores são Fabíola Paes, ex-gerente de operações da C&A, Daniel Koleski e Carlos Henrique Balsalobre, dois profissionais com background de TI.

Para os seus parâmetros, a Linx andava a algum tempo sem fazer nenhuma aquisição.

A última havia sido a Mercadapp, que oferece uma plataforma white label de soluções para que supermercadistas vendam on-line, ainda em novembro de 2020.

A Linx fez quatro compras em 2020 e 33 desde 2008, mais ou menos uma a cada quatro meses e meio. A compra da Neomode ainda precisa passar pela aprovação do CADE, o que é uma formalidade.

No ano passado, foi a vez da própria Linx ser adquirida, depois de uma longa disputa entre Totvs e Stone.

Ganhou a Stone, que pagou R$ 6,8 bilhões pela Linx.