A Dataprev é responsável por processar o pagamento de cerca de 35 milhões de benefícios. Foto: Marcello Camargo/Agência Brasil.

Tamanho da fonte: -A+A

Uma tabela de dados com 270 milhões de registros de brasileiros está sendo oferecida para venda em um fórum da dark web.

De acordo com o site CISO Advisor, referência no assunto, o anúncio em inglês foi publicado na madrugada desta terça-feira, 2, e a lista provavelmente contém nome, CPF, e-mail, endereço e outros dados pessoais, constando nos 57 bancos de dados vazados a  Dataprev, empresa de tecnologia da informação da Previdência Social.

A Dataprev, por sua parte, rebate afirmando que “não há registros de incidentes de segurança e nem indícios de vazamento” dos seus bancos de dados.

De acordo com a estatal, os logs de segurança da empresa e do tráfego de informação não apresentam anomalias, inclusive, no período indicado de vazamento pelo CISO Advisor, em julho de 2020. 

A empresa afirma ainda que os quantitativos de dados e bases relatados pelo portal Ciso Advisor não coincidem com as informações hospedadas pela Dataprev.

De acordo com a Dataprev, os dados ofertados pelo Fórum Dark Web não apresentam nenhum exemplo dos dados obtidos como forma de comprovação e veracidade da ocorrência.

Segundo o hacker informa no anúncio, os dados estão sendo organizados para, depois, serem vendidos. Nesse tipo de ataque, no entanto, o comum seria ele monetizar uma parte do banco de dados e depois vazá-lo na internet.

Com sede em Brasília, a Dataprev é responsável, entre outros serviços, por processar o pagamento mensal de cerca de 35 milhões de benefícios previdenciários, inclusive o Auxílio Emergencial distribuído na pandemia.

A empresa responde também pelo Auxílio-Doença, benefício pago temporariamente ao segurado incapaz para o trabalho em decorrência de doença ou acidente, e pelo aplicativo que faz a liberação de seguro-desemprego. 

Além disso, a Dataprev processa as informações previdenciárias da Receita Federal do Brasil e responde pelas funcionalidades dos programas que rodam nas estações de trabalho da rede, incluindo as Agências da Previdência Social e os postos do Sistema Nacional do Emprego (Sine).