SAQUE

Stefanini compra softwares da Diebold Nixdorf

03/12/2020 15:02

Negócio é o maior em cinco anos na empresa e reforça a oferta na área financeira.

Marco Stefanini, fundador e CEO Global do Grupo Stefanini.

Tamanho da fonte: -A+A

A Stefanini comprou duas unidades de negócio voltadas para software no Brasil da Diebold Nixdorf, gigante mundial de caixas automáticos.

Uma das unidades é chamada de Online Fraud Detection e é voltada para soluções de segurança em pagamentos digitais. 

Cerca de 40 clientes, entre os quais bancos, corretoras e empresas do setor financeiro, utilizam a plataforma por onde passam 201 milhões de transações por mês, de aproximadamente 70 milhões de usuários. 

Além da unidade de prevenção de fraudes, a Stefanini adquiriu alguns ativos relacionados à automação de canais de atendimento, que incluem soluções de agência/caixa, autoatendimento, mobile banking, internet banking, abertura de contas em plataforma móvel, compensação de cheques, solução biométrica e troca de chaves.

Chamada de ServCore, a solução é usada por 30 empresas, com 21 milhões de usuários de biometria, cerca de 250 mil usuários em internet banking e 200 mil em mobile banking. 

“A aquisição do software antifraude da Diebold e das soluções de automação de canais reforça os planos da Stefanini de ser reconhecida como uma empresa full-banking, com soluções financeiras ponto a ponto”, afirma Marco Stefanini, fundador e CEO Global do Grupo Stefanini.

Em nota, a Stefanini disse que o negócio é a “aquisição mais importante em cinco anos”, mas não chegou a abrir valores.

A Stefanini fez umas quantas aquisições nos últimos anos (o grupo já chega a 20 empresas, sete compradas em 2020), mas de startups e empresas de médio porte, como a agência digital gaúcha W3Haus. 

Cinco anos atrás, a Stefanini anunciou uma fusão com a Scala IT, então um dos principais parceiros da IBM em software no país. Um ano antes foi anunciada outra fusão, dessa vez com a IHM, uma grande empresa de automação industrial.

A compra dos negócios de software da Diebold Nixdorf, no entanto, reforça a oferta da companhia no segmento financeiro, que é o coração da Stefanini, responsável por 35% do faturamento de R$ 3,3 bilhões em 2019. 

Para 2020, a expectativa é de um aumento de 20% nas receitas, chegando a quase R$ 4 bilhões.

Não ficou muito claro porque afinal a Diebold Nixdorf desenvolvia essas soluções no Brasil. A empresa está em 40 países e é dona de cerca de um terço do mercado mundial de caixas automáticos.

Se a reportagem do Baguete tivesse que fazer uma aposta, o motivo seria as particularidades dos bancos brasileiros, combinada com alguma questão relacionada com a política industrial do país.

Seja como for, de acordo com Elias Rogério da Silva, presidente da Diebold Nixdorf no Brasil, a empresa decidiu fazer a venda para “aumentar o foco em seus centros de desenvolvimento mundial”

A estratégia inclui o software Vynamic, um produto mundial, que já tem clientes no Brasil.

 “A Diebold Nixdorf continuará sua forte presença no Brasil, e seu trabalho como líder absoluto do mercado de soluções bancárias, incluindo hardware, software e serviços de ATM”, afirma Silva.

Veja também

CÉDULAS
Saque e Pague chega no caixa da loja

Novo produto transforma o caixa de loja em um terminal de saque.

MEIA VOLTA
Stefanini desiste de cabine polêmica

Stefanini@Home feriu sensibilidades e gerou uma tempestade de comentários negativos.

INFRA
Saque e Pague: mais segurança com Scala

Plataforma distribui patches nos servidores da fintech no Brasil e México.

SERVIÇOS
Accenture compra Organize

Companhia é uma das maiores parceiras da ServiceNow no Brasil.

AQUISIÇÃO
Stefanini compra Logbank

Fintech fará parte da Orbitall, ampliando a oferta de serviços financeiros para o mercado de PMEs.

DIGITAL
Stefanini compra W3Haus

Gigante de TI brasileira faz sua maior aposta no nicho de comunicação digital até agora.

FINANCEIRO
Banco Plural automatiza processos com Stefanini

Projeto envolveu também um lado de open banking, um tema em alta.

ESTRATÉGIA
Stefanini terá virada para home office

Meta da empresa é ter metade do quadro em home office em até 18 meses.

VAREJO
Stefanini compra Mozaiko

Startup tem soluções como software de analytics e etiquetas de RFID.

RESULTADO
Saque e Pague cresce 30%

Fintech gaúcha atingiu um faturamento de R$ 120 milhões em 2019.