Julia White, vice-presidente corporativa da Microsoft Azure. Foto: Divulgação.

A Microsoft planeja investir US$ 5 bilhões em internet das coisas (IoT) nos próximos quatro anos. 

O anúncio acontece logo após uma reestruturação interna da companhia, que busca reforçar a importância das áreas de nuvem, software corporativo e inteligência artificial. 

As mudanças refletem o papel cada vez menor do Windows na companhia, transferindo a unidade do sistema operacional para a área de operações na nuvem.

“Investimos em IoT desde antes que o termo fosse conhecido, na época em que as empresas tinham terminais em suas fábricas, prédios e outros dispositivos que eram totalmente ‘obscuros’. Hoje, planejamos dedicar ainda mais recursos a pesquisa e inovação em IoT”, declara Julia White, vice-presidente corporativa da Microsoft Azure, em um post no blog da empresa.

Segundo ela, a plataforma de IoT da Microsoft, abrangendo nuvem, sistemas operacionais e dispositivos, o objetivo é simplificar a jornada de IoT para que qualquer empresa possa criar soluções conectadas que melhorem as experiências dos clientes e de negócios.

“Esse investimento apoiará a inovação contínua em nossa plataforma de tecnologia, contemplando programas de suporte. Continuaremos a pesquisa e o desenvolvimento em áreas-chave, incluindo a proteção da IoT, a criação de ferramentas de desenvolvimento e serviços inteligentes para IoT e a fronteira, além de investimentos para ampliar nosso ecossistema de parceiros”, relata.

O investimento em internet das coisas é uma das grandes tendências entre as gigantes de tecnologia.

Há cerca de seis meses, a Dell Technologies criou uma nova divisão de Soluções para Internet das Coisas (IoT), liderada por Ray O’Farrell, CTO da VMware. A empresa anunciou o investimento de US$ 1 bilhão ao longo de três anos em novos produtos, laboratórios e programas de parcerias para acelerar a implementação de projetos de IoT pelos clientes.

O novo setor é responsável por combinar tecnologias do portfólio de serviços e soluções da Dell Tecnologies para oferecer soluções completas para os clientes. 

Enquanto isso, a unidade da IBM para Watson investiu US$ 200 milhões para abrir um centro especializado em IoT em Munique, na Alemanha, em 2016. A iniciativa faz parte de um investimento global de US$ 3 bilhões que busca levar a computação cognitiva do Watson para o segmento de internet das coisas.

A SAP também não quer ficar atrás quando o assunto é IoT: a empresa divulgou planos de investir € 2 bilhões em novas ofertas para esse mercado até 2021.