Conselheiros de olho nas propostas da Totvs e Stone. Foto: flickr.com/photos/jonasdecarvalho/

O conselho de administração da Linx escolheu a proposta de compra da Stone em detrimento da oferta da Totvs, segundo informa a empresa em fato relevante divulgado nesta sexta-feira, 02.

Agora, a aprovação final está na mão da Assembleia Geral de Acionistas, marcada para o dia 17 de novembro. 

A escolha foi dos dois membros independentes do conselho, João Cox e Roger Ingold.

Os fundadores da Linx, Alberto Menache, Nércio Fernandes e Alon Dayan, não participaram da decisão, aponta a empresa em comunicado.

Pela proposta da Stone, o trio receberá pagamentos adicionais além do valor das suas ações, o que foi criticado por alguns acionistas e usado como argumento pela Totvs.

Os conselheiros independentes são dois pesos-pesados.  João Cox,ex-CEO da Claro, integrante do board de diversas grandes empresas como Braskem, Embraer e Petrobras e Roger Ingold, ex-presidente da Accenture Brasil. 

Ambos estão no board da Linx há algum tempo, com o primeiro tendo ingressado em 2015 e o segundo em 2016.

Mas Cox e Ingold não tomaram a decisão sozinhos. Segundo revela o Neofeed, o debate sobre a escolha começou na quinta, 01, às 19h e durou mais de seis horas, entrando pela madrugada, e foram ouvidas mais de 40 pessoas dos diversos assessores contratados.

Segundo o fato relevante, ela foi baseada em três aspectos na comparação com as duas propostas: o financeiro, em termos de retorno para o acionista, os riscos regulatórios e os aspectos contratuais.

Em termos de retorno, a análise dos bancos de investimentos Goldman Sachs e BR Partners,  apontou que a oferta da Stone é superior e que faltavam informações que documentem a captura de sinergias sugerida pela proposta da Totvs.

Os fundadores participaram do início da reunião, mas se retiraram das discussões das propostas e voltaram só no final, para assinar a ata.

A oferta da Stone é de R$ 6,3 bilhões pela Linx e prevê 90% do pagamento em dinheiro e 10% em ações. Ela foi alterada, após críticas feita a sua primeira proposta.

Em sua segunda versão, um dos pontos mais criticados da primeira proposta da Stone pela Linx, os valores do acordo de não competição dos fundadores da Linx, Alberto Menache, Nércio Fernandes e Alon Dayan, foi reduzido em até 40%.

Já a proposta da Totvs é uma ação de sua emissão mais R$ 6,20 para cada ação da Linx, o que equivale a R$ 34,26 por papel ou R$ 6,13 bilhões pela companhia.

Mas a companhia fundada por Laércio Cosentino deixou claro que sua proposta, desde o início, tem sido preterida pelo conselho de administração da Linx.