O jogo Tennis Clash está hoje entre os 10 jogos mais baixados em mais de 100 países. Imagem: Divulgação.

A Wildlife, uma desenvolvedora paulista de jogos para celular, acaba de atingir uma avaliação de mercado de US$ 1,3 bilhão, o que a torna o novo unicórnio brasileiro. O valor foi alcançado a partir de uma rodada de investimento de US$ 60 milhões liderada pelo Benchmark Capital.

O Bessemer Venture Partners, que investiu na empresa em 2012, também participou da rodada.

Com nove anos de mercado, a companhia é responsável por jogos como Sniper 3D e Tennis Clash, que somam 2 bilhões de downloads.

O Sniper 3D (maior sucesso da empresa), foi lançado em 2013. Já o jogo Bike Race está disponível há sete anos. Já o Tennis Clash, lançado há dois meses, está hoje entre os 10 jogos mais baixados em mais de 100 países.

“Eu e meu irmão tivemos a sorte de entrar no mercado na hora certa. A concorrência era muito baixa, havia poucas pessoas fazendo jogos para celular. Em 2011, se você fizesse um jogo de qualidade, os usuários te encontravam. Hoje, isso não é mais verdade”, diz Victor Lazarte, CEO da companhia, ao BrazilJournal.

O executivo é responsável decisões de negócio da Wildlife, enquanto seu irmão, Arthur Lazarte, é o chefe de produto da empresa.

A Wildlife fornece os aplicativos no modelo freemium. Dessa forma, o usuário pode jogar os títulos gratuitamente, mas pode aprimorar sua experiência e acelerar seu progresso ao comprar itens no aplicativo.

O BrazilJournal relata que a companhia não revela seu faturamento, mas afirma ter alcançado um crescimento de 80% ao ano nos últimos cinco anos.

A partir do aporte, Peter Fenton, sócio do Benchmark, terá um assento no conselho da Wildlife. O executivo já investiu em empresas como Twitter, Ebay, Instagram, Dropbox e Snapchat. 

No Brasil, há outros nomes que já chegaram à avaliação de US$ 1 bilhão no mercado, como 99, Nubank, iFood, PagSeguro, Gympass, QuintoAndar, Stone e Ebanx.