Marco Stefanini.

Tamanho da fonte: -A+A

A Topaz, empresa da Stefanini especializada em soluções financeiras, acaba de fechar a compra da aquisição da Cobis, uma empresa americana de soluções para o core bancário com 600 funcionários e forte presença em países latino americanos como Argentina, Colômbia e Equador, nos quais está entre as líderes de mercado.

Como é a sua prática, a Stefanini não abriu o valor de negócio, dizendo apenas que é a “segunda maior aquisição da história do grupo”, que já fez 30 incorporações desde a sua fundação em 1987.

A maior compra segue sendo a também americana Tech Team, realizada pela Stefanini em 2010.

Para quem gosta de especular com números. No ano passado, Marco Stefanini, fundador e CEO global do Grupo Stefanini, anunciou que investiria R$ 500 milhões em aquisições entre 2021 e 2024. 

Ao Neofeed, Stefanini revelou que 80% desse montante já foi desembolsado, então a aquisição provavelmente está na casa dos R$ 250 milhões (algo tem que ficar para as outras).

Segredos à parte, a compra da Cobis faz parte do que parece ser uma estratégia da Stefanini para se reforçar no segmento financeiro.

Em junho do ano passado, a Topaz comprou 60% do Grupo CRK, uma companhia paulista especializada em sistemas integrados para gestão financeira de tesourarias de bancos. 

A CRK está no mercado desde 1985, tem cerca de 100 funcionários atendendo 100 clientes com sistemas de renda fixa, derivativos, Bovespa, fundos de investimento, SPB, controladoria e pagamentos.

É um portfólio complementar ao da Topaz, uma empresa uruguaia de sistemas de core bancário que foi ela mesma adquirida pela Stefanini em 2012.

Em 2020, a Stefanini comprou duas unidades de negócio voltadas para software no Brasil da Diebold Nixdorf, gigante mundial de caixas automáticos, uma de prevenção de fraudes online e outra de automação bancária.

Na ocasião, a Stefanini disse que era “a aquisição mais importante em cinco anos”, então ela provavelmente é a terceira, atrás da Team Tech e Cobis.

Bancos e a área financeira em geral sempre foram um dos pontos fortes, da Stefanini respondendo ainda hoje por cerca de um terço do faturamento total, que fechou 2021 em R$ 5 bilhões, uma alta de 25% frente a 2020.

Na entrevista ao Neofeed, Stefanini disse que o segmento é um dos que mais têm crescido dentro do grupo e que a compra da Cobis deve fazer a vertical crescer 70%, aumentando o número de clientes de 189 para 250. Já o total de funcionários só na Topaz chega a 1 mil.

Entre os clientes da Cobis estão os bancos Macro, na Argentina; Davivienda, na Colômbia; BanEcuador, no Equador; Terrabank, nos EUA; Santander, no México; Global Bank, no Panamá.

No Brasil, a Topaz fornece serviços de core bancário para companhias como o PagBank, da PagSeguro; o Sicredi; a Midway, da Riachuelo; o Banco Carrefour, e outros.

É fácil entender porque a Stefanini está apostando pesado no setor financeiro. 

Nos últimos anos, o público potencial se ampliou muito, passando de ser algumas instituições financeiras para todo um universo de fintechs e operações com um viés financeiro de players em todos os segmentos da economia. 

Outros players também estão se mexendo. A Totvs criou a Dimensa, uma joint-venture com a B3.