CRIPTOGRAFIA

Ministério da Defesa: segurança com Kryptus

06/04/2021 11:44

Empresa vai atuar no projeto da nova Rede Operacional de Defesa do Brasil.

Foto: Sgt. Johnson/Agência Força Aérea.

Tamanho da fonte: -A+A

O Ministério da Defesa contratou a Kryptus, multinacional brasileira especializada em criptografia e segurança cibernética, para o projeto da nova Rede Operacional de Defesa (ROD) do Brasil.

A empresa venceu o processo licitatório para fornecer tecnologias de segurança criptográfica e ser responsável pela readequação dos ativos de TIC e expansão física e lógica, bem como pelo monitoramento e suporte técnico operacional da rede.

A maior parte do fornecimento deverá ser realizada ainda no ano de 2021.

Considerada a espinha dorsal do Sistema Militar de Comando e Controle (SISMC2), a ROD tem como propósito prover serviços de voz, dados e apoio à decisão aos diversos níveis da estrutura militar de defesa. 

A nova ROD é uma reestruturação e modernização da infraestrutura atual, mantida sob a Chefia de Operações Conjuntas (CHOC) do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA/MD). 

“Com a mudança dos paradigmas de mobilização e combate para a ‘Guerra Centrada em Redes’ e no médio prazo para a ‘Guerra em Mosaico’, é importante que os elementos de comando e controle sejam cada vez mais soberanos e interoperáveis”, explica Roberto Gallo, fundador e diretor geral da Kryptus.

O processo de aquisição foi o primeiro realizado pelo Ministério da Defesa com o instrumento de Termo de Licitação Especial (TLE), que estabelece que o fornecimento de soluções para a proteção de informações deve ser feito por companhias classificadas pelo ministério como Empresas Estratégicas de Defesa (EED).

Além disso, as tecnologias utilizadas precisam ter sido desenvolvidas no país.

Recentemente, a Kryptus obteve renovação da certificação de EED, selo criado em 2013 e possuído por um grupo limitado de empresas na área de tecnologia.

Há pouco, a companhia também assinou um contrato com o Centro de Análises de Sistemas Navais (CASNAV), instituição de ciência, tecnologia e inovação subordinada ao Centro Tecnológico da Marinha no Rio de Janeiro (CTMRJ), para o fornecimento da solução de tokens criptográficos para a Marinha do Brasil.

A solução escolhida foi o modelo KeyGuardian, com o qual a Marinha poderá operar recursos criptográficos com algoritmo de Estado desenvolvido pelo CASNAV em tarefas ou missões que exijam proteção de dados ou informações sigilosas. 

“O KeyGuardian é muito mais do que um token. É uma plataforma criptográfica multimissão que, acompanhada dos demais elementos da suite ‘BruitBlanc’, é capaz de entregar dados e comunicações seguras em múltiplos cenários, para todos os graus de sigilo”, explica Gallo.

Segundo a Kryptus, o KeyGuardian foi desenvolvido ao longo dos últimos 15 anos e é a única solução no país capaz de proteger dados e comunicações IP em todos os graus de sigilo previstos na legislação, até o nível ultra secreto.

No Brasil, a Kryptus é fornecedora de soluções criptográficas para as três Forças e Ministério da Defesa, além de outros entes e órgãos críticos, como Abin, MRE, ITI e TSE. Atua também em programas estratégicos como SISFRON, AC-Defesa, LinkBR2 e RDS-Defesa.

A empresa ainda é responsável por soluções de nível governamental para instituições como a Marinha do Peru e o Exército da Colômbia, além de ter entre seus clientes empresas como BSH, uma subsidiária da Bosch, Claro Brasil, Certisign, Iron Mountain, iFood e Embraer.

Fundada em 2003, a Kryptus tem sede em Campinas, São Paulo, escritórios na capital do estado e em Brasília, além de subsidiária em Yverdon-les Bains, Suíça. Em 2020, a empresa recebeu um aporte de R$ 20 milhões do fundo Aeroespacial, que tem entre seus principais cotistas a Embraer.

Veja também

AMÉRICA LATINA
Kryptus tem novo head de canais e parceiros

Com 10 anos de carreira, Felipe Riule já passou por empresas como Microsoft, Oracle e McAffe.

CERTIFICAÇÃO
Kryptus conquista ISO 27001

Empresa oferece soluções de criptografia para os mercados público e privado.

SEGURANÇA
Kryptus levanta R$ 20 milhões do Fundo Aeroespacial

Fundo tem entre os participantes a Embraer, que essa semana comprou a Tempest, investida em 2016.

SEGURANÇA
Honda e Natura reportam ataques cibernéticos

Com suspeita de ransomware, automotiva tem fábricas paradas em quatro países.

EXCLUSIVO
Payface conquista PCI DSS

Certificação determina um padrão de segurança de dados para transações financeiras.

ENDPOINT
ESET lança novas soluções avançadas para empresas

Novo produto fornece gerenciamento fácil e automatizado do amplo portfólio de soluções de segurança da ESET.

PILOTO
Uber lança gravação de vídeo em Aracaju

Recurso deve seguir os mesmos protocolos da gravação de voz, que já é realizada nas viagens.

CIBERSEGURANÇA
Retrospectiva de Ameaças 2020 – Como Priorizar 2021?

Mundo da segurança cibernética tem sido particularmente desafiador e o Covid-19 traz novos desafios.

DADOS
Celepar adota storage da Hitachi

Foram migrados 350 terabytes de arquivos em dois meses para o novo sistema.

ATAQUE
Estrago dos hackers no STJ foi grande

Ransomware foi usado no que pode ser o incidente de segurança mais grave já ocorrido em órgão público.