Baguete
InícioNotícias> BB: seis parceiros em open banking

Tamanho da fonte:-A+A

API

BB: seis parceiros em open banking

Júlia Merker
// segunda, 08/10/2018 16:30

A plataforma de open banking do Banco do Brasil (BB) conta com seis parceiras para produção de ferramentas integradas ao sistema da instituição.

Carlos Rudnei Dutz, gerente executivo da diretoria de negócios digitais do BB. Foto: divulgação.

O projeto com divulgação mais recente é com a startup de comparação de empréstimos consignados Bxblue. Com isso, os clientes do BB podem simular e contratar operações de consignado diretamente no site da fintech, em poucos minutos.

As outras empresas integradas na iniciativa de open banking são ContaAzul (plataforma de gestão em nuvem para pequenas empresas), Dotz (programa de fidelidade), BrasilCap (empresa de de capitalização do BB), Ciclic (fintech de planos de previdência privada controlada pelo Banco do Brasil) e FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação).

“O projeto ainda tem mais 20 acordos ainda no forno para lançamentos ao longo de 2018 e no primeiro semestre de 2019”, destaca Carlos Rudnei Dutz, gerente executivo da diretoria de negócios digitais do BB.

Com esse projeto, o Banco do Brasil busca se inserir em novos ecossistemas digitais e atuar como um direcionador de serviços a partir de uma plataforma centralizada. 

“Pela primeira vez uma instituição financeira do país passou a permitir que um usuário adquira um empréstimo fora do seu sistema e já receba o valor em instantes, em sua conta” exemplifica Gustavo Gorenstein, fundador da Bxblue.

O BB foi o primeiro banco da América Latina a fazer uma operação estruturada de Open Banking com o lançamento do Portal do Desenvolvedor em junho de 2017.

A página para desenvolvedores concentra as informações das APIs (Application Programming Interface) que o Banco do Brasil oferece aos desenvolvedores de aplicativos, que, por sua vez, colaboram com a criação de produtos financeiros integrados.

O estudo da plataforma pela equipe do banco foi iniciado há quatro anos com estudos sobre o tema nos mercados americano e europeu para chegar ao modelo atual de integração com o ecossistema por meio de APIs.

“Como uma questão de segurança, o banco faz o compartilhamento de informações somente com consentimento dos clientes, que assina um termo dentro da plataforma do banco ao optar por utilizar um dos serviços dos parceiros”, relata Dutz.

O primeiro recurso anunciado após a criação da plataforma aberta foi lançado pela ContaAzul. A ferramenta permite que clientes MPE (micro e pequenas empresas) do BB integrem informações bancárias (como saldo de conta corrente e fatura de cartão de crédito) à plataforma da ContaAzul. 

Fundada em 2011, a ContaAzul foi a primeira startup brasileira selecionada pela 500Startups, um dos principais programas de aceleração de negócios no Vale do Silício, ficando incubada por quatro meses nos Estados Unidos.

Júlia Merker