Aurora Suh.

Aurora Suh, ex-diretora de estratégia de negócios da Linx, acaba de assumir o cargo de Chief Revenue Officer da Omie, ficando a cargo dos times que compõem a cadeia de geração de receita da companhia de sistema de gestão na nuvem.

No mercado de sistemas de gestão, Suh passou ainda pela Totvs, onde foi diretora de operações.

Em ambas empresas, os dois maiores players nacionais de sistemas de gestão, a executiva trabalhou com geração de demanda, vendas e canais. Na Linx, Suh coordenou a implementação do sistema de relação de clientes (CRM, na sigla em inglês) Dynamics da Microsoft.

“A jornada de revenue em empresas SaaS tem amadurecido muito no Brasil e a Omie pretende assumir a dianteira desta maratona. Meu desafio é consolidar a Omie como a maior e mais importante empresa de tecnologia do Brasil”, afirma Suh.

Criada por Marcelo Lombardo, fundador da NewAge Software, uma empresa de software de gestão vendida para a Toutatis Global em 2013, a Omie se tornou um dos destaques na nova leva de companhias de ERP na nuvem, junto com a concorrente ContaAzul.

Ainda em 2019, a Omie levantou R$ 80 milhões do fundo americano Riverwood Capital, que já investiu em empresas como 99, Mandic e VTex. Em setembro de 2018, outros R$ 25 milhões vieram do fundo Astella.

Em abril, em meio aos dias mais confusos da pandemia do coronavírus, a Omie anunciou a uma grande "pivotagem", junto com a demissão de 134 funcionários, cerca de um terço do total.

A empresa anunciou que passaria a ter um foco em organizações maiores, com faturamento entre R$ 10 milhões e R$ 200 milhões ao ano, competindo com o que chama de “dinossauros”: players consolidados no mercado de ERP como Totvs ou SAP.

O resultado veio rápido. Em fevereiro de 2020, empresas de menor porte compunham 97% dos novos clientes, contra 3% de médias e grandes, mas em junho a proporção já tomou outro aspecto: as novas vendas já são 72% versus 28%, respectivamente.