Gil Torquato, CEO da UOL Diveo.

Tamanho da fonte: -A+A

A Compasso, empresa de tecnologia do grupo UOL, agora se chama Compass.

A troca do nome, provavelmente uma das alterações mais simples da história do marketing, foi feita pela agência Global GUT, sediada nos Estados Unidos, e visa reforçar os planos de expansão global da companhia.

A operação foi efetiva. Com uma letra “o” a menos, o nome agora está em inglês, idioma no qual a palavra “compass”, significa “bússola”, o que dá a deixa para o conceito de marketing “What' the north for ___”, o que em tradução livre seria algo como “Qual é o rumo para _____”.

Uma curiosidade para amantes de filologia é que “compasso”, em português, também pode significar bússola, mas apenas num contexto náutico. 

Isso provavelmente tem a ver com o fato de navegadores usarem compasso, o instrumento para fazer círculos, para monitorarem sua localização no mar por meio das estrelas, em uma época pré-GPS, mas esse repórter começa a divagar.

Em nota, a Compass aponta que o novo nome “se conecta com o DNA da companhia e reflete o ideal de ser referência na construção de jornadas digitais, com foco em disrupção, inovação e transformação por meio de tecnologias estado-da-arte”.

“Ao transformar a Compasso em Compass, a ideia foi de refletir todas as áreas de atuação, com soluções desenvolvidas de forma eficiente para se adequar às diferentes necessidades dos clientes em qualquer lugar do mundo”, completa Gil Torquato, CEO da UOL Diveo, holding que controla a Compass.

O novo nome é mais um passo na trajetória da Compasso dentro da UOL, que começou em 2013, quando a companhia, fundada em Passo Fundo, no interior do Rio Grande do Sul, foi comprada pela UOL.

No ano passado, a UOL fez um movimento chamativo, sua operação de data center corporativo, para o grupo fundo de investimentos americano Colony Capital, que criou a partir dela a Scala Data Centers.

A empresa ficou com o negócio de tecnologia, a Compasso, comprando quase a totalidade das ações e apostando na continuidade do nome, pelo menos até agora.

No meio tempo, a Compass mudou bastante. Quando foi adquirida pela UOL, a Compasso tinha 170 funcionários e era basicamente focada em tecnologias da Oracle. 

Hoje ela tem 4 mil e cobre todo um espectro de tecnologias mais faladas do momento, sob o guarda chuva “transformação digital”: RPA, chatbots, reconhecimento facial, IoT e Big Data. 

Mais recentemente, a empresa começou a fazer aquisições, inclusive no exterior, como a multinacional Invillia, de soluções end-to-end, atua em países como Portugal, Holanda, Inglaterra e México ou as americanas Content Thread, uma agência digital especialista em tecnologias Adobe e a Edgy Labs, focada em soluções avançadas de SEO.