SAP teve que rever as suas contas para 2020. Foto: Pexels.

A SAP revistou para baixo suas metas para 2020, estimando que a crise do coronavírus possa causar uma queda nas vendas de entre € 1,4 e € 1,9 bilhão.

Se a previsão se cumprir, as receitas da SAP ficarão em algum lugar entre € 27,8 bilhões e € 28,5 bilhões, o que, mesmo no pior dos cenários, ainda vai ser um pouco melhor do que os € 27,55 bilhões de 2019.

Dentro disso, as vendas de nuvem devem cair entre €400 to €700 milhões, para algo entre € 8,3 bilhões até € 8,7 bilhões.

Os lucros operacionais também devem sofrer, com projeção de serem entre € 800 milhões e € 1,2 bilhão menores em 2020, ficando entre € 8.1 bilhões e € 8,7 bilhões.

As projeções foram feitas pela SAP depois da divulgação dos resultados do primeiro trimestre, nos quais o impacto do coronavírus já se mostrou, ainda que de maneira incipiente.

O indicador que mais sofreu foi a venda de licenças de software, que caiu 31% no primeiro trimestre de 2020, para €450 milhões.

Mesmo assim, a companhia teve um aumento de receitas no total de 7%, somando € 6,52 bilhões. 

O aumento foi gerado por receitas de nuvem, que aumentaram 29% para € 2,01 bilhões.

O lucro operacional subiu 1%, para €1,48 bilhão. A SAP teve um prejuízo de € 36 milhões devido ao cancelamento de uma série de eventos em 2020, incluindo o Sapphire Now, maior encontro da empresa previsto para maio em Orlando e realizado agora em formato digital.

Na divulgação, a SAP disse que uma “quantidade significativa” de novos negócios foi posposta devido ao coronavírus, o que deve piorar no segundo trimestre, antes de melhorar gradativamente no terceiro e quarto trimestres.