Unidade do Iguatemi. Foto: Divulgação.

A Iguatemi, uma das maiores empresas do setor de shopping centers do país, ampliou o seu contrato com a Rimini para suporte terceirizado de sistemas da SAP.

Desde 2016 cliente de suporte independente às aplicações SAP ECC 6.0 e SAP Business Objects da empresa, o Iguatemi agregou agora um contrato de serviço de gerenciamento de aplicações (AMS, na sigla em inglês).

Na prática, isso significa que além de fazer o suporte nível 3 (código customizado crítico, atualizações fiscais, jurídicas e regulatórias), a Rimini abocanhou também o nível 2 (suporte operacional, incluindo resolução de incidentes, gerenciamento de casos e análise de causa raiz para otimizar as operações em andamento).

Esse serviço de nível 2 é normalmente oferecido por um dos 22 parceiros SAP que trabalham com AMS no país, um mercado disputado. A Rimini entrou no segmento em 2019, reforçando sua proposta de que os clientes mantenham as versões antigas dos softwares da SAP.

No caso da Iguatemi, além do AMS, a empresa adotou ainda o Rimini Street Watch, produto que substitui o SAP Solution Manager na função de monitorar a disponibilidade do ERP.

“Com um único provedor de serviços para suporte de software e AMS, não perdemos mais tempo com o gerenciamento de tickets, tornando a dinâmica mais eficiente”, diz Valdemar Castilho, gerente de operações de TI da Iguatemi.

Em nota, a Rimini cutuca os três fornecedores de AMS anteriores (os contratos costumam ser em base anual, alguns sendo renovados por anos) afirmando que eles “cobravam por tickets abertos, demoravam para responder e não solucionavam os problemas”.

Com sede em São Paulo, a Iguatemi opera 14 shopping centers, dois premium outlets e três torres comerciais no país.

A empresa sofreu com a pandemia do coronavírus, que levou ao fechamento de shoppings pelo país e à necessidade de renegociações com os lojistas.

A Iguatemi obteve uma receita líquida de R$ 160,9 milhões no segundo trimestre de 2020, baixa de 14,3% em relação ao ano anterior. As vendas totais nos shoppings caíram 82,8%, para R$ 603,6 milhões.

A Rimini está no Brasil desde 2011 e tem atualmente 120 clientes no país, incluindo Algar Telecom S.A, Bombril, Cacau Show e CPFL Energia.

A companhia é líder no mercado de suporte terceirizado, com uma participação de 83% segundo o Gartner.