Brasil TecPar está chegando a Joinville. Foto: https://www.flickr.com/photos/mturdestinos/

A Brasil TecPar, grupo de empresas do setor de telecomunicações, comprou o data center construído por Neogrid e Sercompe em Joinville.

A Ávato, uma das empresas integrantes do Brasil TecPar, já operava data centers de menor porte em Porto Alegre e Santa Maria, no Rio Grande do Sul.

A empresa tem clientes como Tribunal de Justiça, Banrisul, Grupo RBS, Grupo Ferrarin, Vipal, CMPC Celulose e Souza Cruz.

O data center de Joinville foi inaugurado em 2012, tem 300 metros quadrados e padrão de segurança ISO 27001, além de uma rede de fibra óptica na cidade, que é o coração industrial de Santa Catarina.

Instalado na avenida Santos Dumont, onde estão companhias como Totvs e Neogrid, o centro de dados seria até hoje o maior de Santa Catarina, segundo a Brasil TecPar.

Em breve o data center da Brasil TecPar em Joinville terá um concorrente. A Armazém Data Center está investindo R$ 20 milhões na construção de uma estrutura no Ágora Tech Park, parque tecnológico da cidade.

De acordo com a Armazém, será o segundo data center Tier 3 em Santa Catarina e um dos cinco operando na região Sul. A maioria dos data centers desse nível no país fica em São Paulo e pertence a grandes players de hosting ou computação em nuvem.

A Brasil TecPar já fez 30 incorporações de provedores de acesso a internet, totalizando 110 mil clientes em 100 cidades gaúchas.

A empresa tem entre seus sócios nomes conhecidos no mercado de telecom gaúcho como Gustavo Pozzebon Stock, diretor de relações estratégicas da Ávato e fundador da GPSNet e Adalberto Schiehll, ex-diretor da SIM Telecomunicações.

A meta é atingir o valor de R$ 1 bilhão em valor de mercado até 2022.

O Brasil tem mais de cinco mil provedores regionais, espalhados por partes do país que não são atendidas por grandes operadoras.

Mas existem alguns indícios de que isso pode mudar, com investimento pesado entrando no segmento.

A EB Capital, gestora de private equity de Eduardo Sirotsky Melzer, levantou no ano passado R$ 2 bilhões para a EB Fibra, seu projeto de banda larga. 

Outra empresa que está investindo forte é a Vero Internet, que tem 371 mil assinantes em 105 cidades espalhadas por Paraná, Santa Catarina, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

O plano de investimentos prevê R$ 750 milhões até 2023, visando chegar a 200 municípios atendidos.

Quem está bancando as compras é o fundo Vinci Partners, que criou a empresa em 2019 e desde então já fez 10 aquisições de provedores regionais.