Manoela Mitchell, CEO e cofundadora da Pipo. Foto: divulgação.

A Pipo Saúde, startup focada na contratação e gestão do plano de saúde pelo RH das empresas, recebeu um aporte de R$ 20 milhões de reais liderado pelos fundos Monashees e Kaszek.

Na rodada, também participaram a ONEVC e investidores anjo como David Velezo, CEO do Nubank.

A startup foi fundada em 2019 por Manoela Mitchell, Thiago Torres e Vinicius Corrêa. Mitchell, que já estudava o mercado de saúde antes de empreender, trabalhou nessa área nos fundos Temasek e Actis.

Ao se juntar com os cofundadores, o trio acabou escolhendo focar no mercado de planos de saúde para empresas, que é a segunda maior despesa das companhias - atrás apenas da folha de pagamento.

"O time da Pipo Saúde é exatamente o time de empreendedores que buscamos na Monashees: genuinamente preocupados em utilizar tecnologia para melhorar a experiência e trazer eficiência para milhares de empresas que hoje são carentes de produtos alinhados com as suas realidades" destaca Caio Bolognesi, sócio da Monashees.

Na prática, a Pipo recomenda os melhores planos para o RH por meio da tecnologia e dados.

"Apesar da saúde ser a coisa mais importante da vida das pessoas, um dos custos mais relevantes das empresas, e um mercado de R$ 250 bilhões por ano, não existe uma solução de qualidade para ajudar os RHs a comprarem e gerirem saúde da melhor maneira. Nós nascemos para mudar isso", diz Manoela Mitchell, cofundadora e CEO da Pipo.

A startup também oferece um time de saúde exclusivo para tirar dúvidas e ajudar os funcionários das empresas clientes na experiência, assim como para trabalhar com soluções complementares às necessidades do RH, como saúde primária, telemedicina, saúde mental e ocupacional. 

"Temos no Brasil uma cultura muito centrada no hospital, em que o paciente vai no pronto-socorro para quase tudo. Queremos mudar isso, ajudando nossos clientes a tomarem decisões melhores, focando em prevenção e visitas a especialistas", diz Thiago Torres, COO da Pipo Saúde

A Pipo Saúde se insere no lugar do corretor de seguros tradicional, mas não cobra dos seus clientes e monetiza seu negócio por meio da comissão que recebe das operadoras. 

A empresa trabalha com as principais operadoras de planos de saúde, como SulAmérica, Bradesco Seguros, Amil, GNDI, Seguros Unimed, Careplus e Omint. 

Desde o início do ano, 111 mil pessoas compraram plano de saúde e a Pipo Saúde se beneficiou desse mercado. A empresa cresceu 7x o número de clientes desde janeiro, fazendo hoje o gerenciamento de benefícios para 3 mil pessoas e planejando chegar a mais de 10 mil até o final de 2020.

Alguns dos principais clientes da empresa são Buser, OYO, Caelum, Funcional Healthtech e PIER.

"Nos últimos anos, diversos setores foram verdadeiramente transformados pela tecnologia, mas muito pouco aconteceu na saúde. Nós vemos na Pipo a oportunidade de radicalmente melhorar a experiência das pessoas com a saúde e estamos otimistas com que está por vir" afirma Hernan Kazah, cofundador e managing partner da Kaszek.

Com o investimento, a empresa quer ganhar impulso para alavancar seu crescimento e sua expansão pelo Brasil.

"Hoje boa parte das empresas no Brasil recebem pouquíssimo suporte dos corretores de seguro, é um mercado que parou no tempo e com alinhamentos de interesse incorretos. A Pipo Saúde é uma empresa que pode gerar milhões em valor futuro para todos os envolvidos," afirma Arthur Brennand, sócio da ONEVC.

Segundo a empresa, o benefício empresarial responde por cerca de 70% das 47 milhões de pessoas com plano de saúde no Brasil.