Vendedores da iPLace aprendem sobre produtos no celular. Foto: Divulgação.

A Chanalmport, empresa ligada ao Grupo Herval que faz a importação de acessórios para produtos da Apple vendidos las lojas iPlace do grupo, está usando um aplicativo baseado em microlearning e gamificação para ampliar as vendas.

O aplicativo, baseado na plataforma Talent Camp da Base, leva informações segmentadas sobre as características dos produtos para os vendedores das 140 lojas iPlace espalhadas pelo país.

“São informações e especificações técnicas que precisam de foco e dedicação para contemplar uma venda segura e clara, ainda mais para clientes tão exigentes e conectados”, explica Maxwell Borges, gerente comercial da ChannaImport.

A ChannaImport possui hoje mais de uma dezena de fornecedores na China continental, Hong Kong, Taiwan e Coreia do Sul.

Entre os principais produtos importados estão acessórios para iPad, iPhone, Apple Watch e iPod, tais como capas protetoras, películas, cabos, adaptadores, carregadores, fones, suportes, etc.

O resultado surpreendeu. Em três meses, a ChanaImport  registrou aumento de 20% nas vendas. A título de comparação, foi um pouco menos da metade do impacto gerado pelas festas de final de ano, quando as vendas costumam aumentar 50%.

Com o objetivo de engajar o público das lojas desde o início, o projeto foi executado em duas etapas. Na primeira foi feito um “teste de fogo”, em uma convenção de vendas para todos os gerentes e sub gerentes de lojas da iPlace, um total de 350 pessoas que participaram de uma competição específica pelo app durante três dias.

“O resultado não poderia ser melhor.  A ferramenta foi um sucesso, gerou uma competição acirrada e a premiação dos vencedores foi ponto alto na festa de encerramento da convenção” afirma Borges, da ChanaImport.

A segunda fase foi um projeto piloto em três lojas da iPlace do Sul, localizadas em Porto Alegre, que durou dois meses, entre junho e julho, e, assim como na primeira fase, o app conseguiu o engajamento total das equipes.

Um dos destaques do app, foi a possibilidade de customizar o conteúdo para atender necessidades específicas.  Dessa forma, consultores de lojas com baixo fluxo de clientes foram treinados com foco no fechamento de vendas. 

Enquanto lojas com clientes de alto poder aquisitivo, que tendem a comparar mais produtos, receberam treinamentos com informações predominantemente técnicas dos produtos. 

“A plataforma ainda nos permitia fazer competições entre grupos de lojas separadas por regiões, por necessidade de incentivos para atingir metas, entre outras possibilidades”, observa Borges, da ChanaImport.

O conceito microlearning se aplica a processos de educação a distância focados em pequenos blocos de informação e atividades a curto prazo, por meio de textos, vídeos, podcasts e quizzes.

No caso da aplicação da Base, o engajamento com o conteúdo é fomentando através de conceitos lúdicos, o que é conhecido como gamificação.

Assim, por exemplo, o aplicativo feito para a ChanaImport estimula o aprendizado por meio de competições e desafios, incluindo uma funcionalidade pela qual um consultor pode desafiar outro, “apostando” os pontos acumulados no app até então.

"É uma startup que oferece um meio digital novo e intuitivo, focada, com uma abordagem atual e lúdica capaz de garantir alto índice de aproveitamento do conhecimento e ótimos resultados para o negócio", explica Marcos Rasta, CEO da Base.