Henrique Mengue.

A EZ Commerce, empresa de soluções de e-commerce de Porto Alegre, recebeu um aporte de 2,5 milhões do fundo Criatec 2 do BNDES, operado no Rio Grande do Sul pelo Badesul.

Com o aporte, a EZ Commerce passa a ser uma sociedade anônima. Foi formado um Conselho de Administração, no qual terão assento um representante dos fundos e Jaime Wagner, fundador da Plug In e hoje um ator ativo na cena de aceleradoras gaúchas.

A ideia é desenvolver o mercado para o EZ, solução de comércio eletrônico que a empresa trabalha desde a fundação, em 2007, e ajudar a introduzir o Core, um sistema mais robusto focado em atender clientes mais complexos ou com atuação multicanal.

“Buscaremos ser a principal fornecedora de tecnologia para e-commerce do Brasil e esse investimento é extremamente importante para elevar a empresa a outro patamar”, afirma Henrique Mengue, cofundador e CEO da EZ Commerce.  

De acordo com Mengue os 450 varejistas atualmente na base da EZ Commerce já colocam a companhia entre os cinco maiores players do segmento no país, incluindo nomes como Bombril, Track & Field, Bibi Calçados e Cerveja Store.

Nomes nesse segmento não são tudo. A EZ atende companhias “totalmente desconhecidas” girando R$ 5 milhões mensais em nichos específicos, a uma gama de pequenas empresas faturando R$ 100 mil por mês em lojas em marketplaces como o Mercado Livre até grandes organizações conhecidas do público.

Ao todo, os clientes da EZ movimentaram juntos mais de R$ 500 milhões neste ano. vA empresa tem 70 colaboradores em Porto Alegre e São Paulo. O faturamento gira em torno de R$ 10 milhões anuais.

As soluções da companhia também são oferecidas por uma rede de 200 canais, incluindo agências digitais e players de ERP.

Com o Core, que ainda está nos primeiros passos com 15 clientes, a ideia é ter uma plataforma modular que atenda a mais necessidades do que a operação de comércio eletrônico.

A lista inclui funcionalidades de business intelligence e atendimento, dentro de uma visão “omnichannel” - o termo favorito no meio de varejo que indica uma visão única de diversas plataformas de venda.

A EZ tem o knowhow para emplacar uma ferramenta nesse nível com desenvolvimento próprio, acredita Mengue. 

Junto com o sócio Alberto Fujita, Mengue trabalhou no início dos anos 2000 na Tlantic, empresa de tecnologia da gigante portuguesa Sonae com operação em Porto Alegre, concebendo o que então eram operações incipientes de comércio eletrônico basicamente do zero.

Em 2008, juntaram-se aos universitários Maurício e Ivan Correa (primos, não irmãos) na criação da EZ.