STARTUP

Twilio compra Teravoz

17/01/2020 16:55

Aquisição marca chegada oficial da empresa no Brasil.

Wayra comemorou o retorno de 30 vezes o investimento feito na startup. Foto:divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Twilio, empresa de comunicação na nuvem sediada no Vale do Silício, adquiriu a startup Teravoz, especializada em sistemas de telefonia com gerenciamento via web.

A startup deve passar por um período de adaptação para que a empresa seja unificada, passando a atuar localmente sob o nome de Twilio Brasil. O fundador Dov Bigio será o country manager no país.

A Wayra, hub de inovação aberta do Grupo Telefónica e uma iniciativa da Vivo no Brasil, divulgou a venda comemorando o retorno de 30 vezes o investimento que feito na startup, uma das maiores saídas de seu portfólio.

De acordo com o site Crunchbase, o  investimento, que não teve o valor revelado, foi feito em 2018 no modelo capital semente. O fundo Canary e Diego Gomes, CEO da Rock Content, também participaram da rodada.

Para a Wayra, a aquisição representa também mais uma validação importante da qualidade dos empreendedores brasileiros e demonstra o sucesso das estratégias de inovação aberta realizadas por grandes grupos, como a Telefônica. 

“A saída da Teravoz também representa novas oportunidades de negócio com a Vivo no Brasil e Telefónica no mundo. É excelente para todos os envolvidos. Toda corporação deveria investir nessa estratégia, funciona e muito bem”, ressalta Renato Valente, country manager da Wayra no país.

A Vivo também oferece a infraestrutura de telecomunicações da startup.

“A Wayra nos ajudou com negociações na Vivo e trouxe mais visibilidade para nossa empresa, além de ter nos proporcionado o primeiro espaço para trabalhar fora de casa”, afirma Dov Bigio, um dos fundadores da Teravoz. 

Criada em 2011, a Wayra já já investiu € 45 milhões em 800 empresas no mundo e está presente em dez países: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Alemanha, México, Peru, Espanha, Reino Unido e Venezuela.

No Brasil, atua desde 2012 e já investiu em 74 empresas, tendo 36 startups no portfólio do país atualmente.

As áreas mais buscadas são de data analytics/big data, inteligência artificial, cibersegurança, IoT, realidade virtual e aumentada, além de fintechs, agtechs e edtechs.

Fundada em 2008, a Twilio é uma empresa de comunicação em nuvem que permite que os usuários usem idiomas padrão da Web para criar aplicativos de voz, VoIP e SMS por meio de uma API da Web

Com ações comercializadas na Bolsa de Valores de Nova Iorque, oferece infraestrutura para gigantes da tecnologia, como Uber, Amazon e Netflix.

Criada em 2014, a Teravoz tem mais de 500 clientes que trafegam mais de 8,5 milhões de minutos por mês na plataforma, que leva PBX para a nuvem e é adaptável para qualquer tamanho de empresa.

Permitindo integrações do sistema de telefone com outros softwares, a startup tem clientes como Nubank, Creditas, QuintoAndar e RockContent.

Veja também

EXPANSÃO
GX2 abre filial em Belo Horizonte

Empresa pretende chegar a um faturamento R$ 5,2 milhões em dois anos.

VAREJO
LLUM Bronzearte adota solução da BI Action

No primeiro ano de uso, empresa aumentou as vendas em 11%.

CARTÃO
Ebanx terá conta digital com Visa e Dock

Fintech B2B agora aposta também na relação com consumidor final.

CARRINHO DE COMPRAS
B2W compra Supermercado Now

Estimativa da transação é entre R$ 80 e R$ 100 milhões.

FINTECHS
Visa compra Plaid por US$ 5,3 bilhões

Valor da aquisição é o dobro da última avaliação da startup.

STARTUP
Pipefy tem novo VP de vendas

Murilo Costa tem mais de 20 anos de experiência.

ENTREGAS
Linx integra software com a Rappi

Clientes do Linx Omni OMS agora podem entregar seus produtos com o aplicativo.

INOVAÇÃO
Depois dos unicórnios, as zebras...

Nem só de espécies mitológicas é composto o reino animal. 

BYE BYE
Sage quer vender operação no Brasil

Negócios no Brasil devem ser vendidos até setembro. Prejuízo será grande.

PATINETES
Lime deixa América Latina

No total, 12 cidades não estavam dando lucro.