NOMES

Racha do setor de TI na indicação para o CNPD

17/03/2021 13:36

Brasscom forma frente com oito entidades. Assespro Nacional vai sozinha.

Setor rachou na hora de fazer indicações. Foto: Pexels.

Tamanho da fonte: -A+A

O setor de TI vai rachado nas indicações para a posição de conselheiro no Conselho Nacional de Proteção de Dados e Privacidade (CNPD), órgão consultivo da nova Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), órgão que vai regulamentar a implantação da lei de proteção de dados LGPD.

São duas vagas no conselho destinadas ao setor empresarial, e, até agora, duas indicações, uma feita pela Assespro Nacional, entidade que reúne empresas brasileiras de pequeno e médio porte, e outra pela Brasscom, na qual estão as grandes do Brasil e multinacionais operando no país.

As duas entidades tiveram abordagens opostas. A Assespro indicou o empresário Ítalo Nogueira, que presidiu a entidade no biênio 2019-20, foi conselheiro do Porto Digital e Softex Recife e é investidor em 40 startups.

Já a Brasscom indicou a advogada Ana Paula Bialer, ex-presidente da Associação Brasileira de Direito da Tecnologia da Informação e das Comunicações.

A entidade formou uma frente, que até agora somou o apoio de outras oito organizações, com um espectro diversificado de entidades empresariais e sindicatos: AbraHosting, Abrintel, ADCN, Confederação Nacional de Saúde, ConTIC, FenaInfo, P&D Brasil e Sociedade Brasileira de Computação.

Em troca, a Brasscom se comprometeu a encaminhar as demandas do conselho para a análise das Apoiadores e apresentar seus pareceres e análises no conselho que foram previamente consensuadas com o grupo.

Parece pouco provável que o setor de TI emplaque duas indicações em um conselho com influência na implementação de uma lei que afeta todo tipo de empresas, incluindo algumas com muito mais influência que o setor de TI, como por exemplo, os bancos.

Tendo isso em conta, parece que a favorita para levar a posição é a indicação da Brasscom, que tem sozinha mais cacife político e ainda se preocupou por construir uma frente. 

Em outubro do ano passado, foram indicados os cinco diretores da ANPD, dois quais dois faziam parte de uma lista de quatro candidatos apresentada pela Brasscom ao governo: Miriam Wimmer, diretora de Serviços de Telecomunicações no Ministério das Comunicações e Arthur Sabbat, diretor do Departamento de Segurança da Informação do GSI-PR.

Veja também

PEDIDA
Ação pode quebrar a Serasa Experian

Entidade pede indenização potencialmente bilionária, caso se consiga provar a origem do vazamento.

SEGURANÇA
OLX procura falhas com BugHunt

Empresa deve recompensar com até R$ 15 mil hackers da plataforma de bug bounty.

JOGOS
Red Team x Blue Team

Um departamento de segurança com uns no ataque, outros na defesa. Quem ganha é a economia digital.

VAZAMENTOS
Empresário brasileiro é inconsequente?

CEO da PSafe acredita que não “caiu a ficha” do tamanho do problema de vazamento dos CPFs.

MISTÉRIO
ANPD investiga vazamento dos CPFs

Também participam da apuração instituições como a Polícia Federal e o Comitê Gestor da Internet no Brasil.

QUEBRA-CABEÇA
De onde saíram os CPFs?

Um hacker aponta a Serasa Experian, que nega. Outro afirma que a fonte é estatal.

INFORMAÇÃO
A LGPD e o valor precioso dos dados

Grandes empresas já fazem a medição de seu "valuation" pelos ativos de dados que têm.

DADOS
Grupo RCI: LGPD com Privacy Tools

Braço financeiro das marcas Renault e Nissan começou o projeto lá em 2018.

DARK WEB
Psafe: todos os CPFs do Brasil vazaram

Banco de dados vazado reúne nome completo, data de nascimento e CPF de potencialmente quase todos brasileiros.

COMPRAS
Tivit compra startup de segurança

Privally foi a primeira aquisição do Tivit Ventures. Outras 10 ainda devem vir em breve.