No total, seis startups fazem parte do Agro IoT Lab. Foto: Pexels.

As empresas Vivo, Raízen e Ericsson, com apoio da EsalqTec, apresentaram na última semana as primeiras soluções de seu programa de startups focado em agronegócio brasileiro. Os sistemas têm foco em telemetria de maquinário, pecuária e previsões climáticas. 

Os projetos foram desenvolvidos por startups que compõe o programa Agro IoT Lab, iniciado em janeiro de 2019.

Seis iniciativas foram selecionadas para o desenvolvimento de soluções e aplicações em IoT no agronegócio, utilizando a frequência de 450 MHz e direcionadas para operar nas redes Narrow Band IoT (NB-IoT) e Long Term Evolution for Machines (LTE-M) – lançadas oficialmente pela Vivo em 19 de março deste ano. 

“As primeiras demonstrações com o uso da frequência de 450MHz geradas pelos dispositivos IoT permitiram a criação de um ecossistema de inovação aberta que vai além da conectividade, com soluções que de fato ajudam a resolver os desafios do campo. Todos os projetos apresentados são direcionados para que o agricultor melhore sua produtividade com menor custo operacional e otimização de recursos”, explica Debora Bortolasi, diretora de marketing, produtos digitais e inovações B2B da Vivo.

A IoTag, empresa de telemetria de maquinário e manutenção preditiva, apresentou seu projeto de trator conectado com foco na redução do consumo de combustível. A solução capta informações em tempo real para gestão e controle do maquinário no campo.

“O uso da frequência de 450 MHz possibilita que o agricultor faça toda essa gestão em uma área de cobertura maior. As primeiras demonstrações de uso ratificaram a frequência como o grande diferencial de transformação digital do campo, em especial quando associado à aplicação do IoT, ampliando em quase 2.5 vezes o mapa de cobertura quando comparado com a faixa de 700MHz”, pontua Rogerio Loripe, vice-presidente da Ericsson para a Vivo.

A Ativa Soluções, com foco em soluções M2M para telemetria e gerenciamento remoto, apresentou sua estação meteorológica dedicada à coleta, armazenamento, processamento, e transmissão de dados de todos os sensores conectados ao aparelho.

O sistema pode medir precipitação de chuva, velocidade e direção do vento, radiação solar, temperatura e umidade relativa do ar, umidade do solo, nível e vazão de rios e lagos, pressão atmosférica e qualidade do ar e da água. 

A @Tech, empresa de soluções tecnológicas para a agropecuária de precisão, apresentou o BeefTrader Premium, software que monitora e prediz o lucro do pecuarista, indicando o Ponto Ótimo de Negociação (PON). A solução calcula o lucro a partir da eficiência da operação do confinamento, do acompanhamento do desempenho animal e da análise de mercado. 

No total, seis startups fazem parte do Agro IoT Lab – programa de desenvolvimento de aplicações IoT para o campo – e foram selecionadas entre 49 projetos. 

Os selecionados contam com acesso ao campo de prova nas áreas produtivas da Raízen, podem utilizar o espaço compartilhado do Pulse, hub de inovação da Raízen que oferece mentoria, workshops, networking e treinamentos aplicados ao agronegócio.

As startups contam também com a possibilidade de receber investimentos da Wayra, hub de inovação aberta da Vivo, responsável por toda metodologia de aceleração e processo de seleção das startups.