Bruna Vaz Negrão e Fábio Rodas Blanco, fundadores da Shopper. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Shopper, e-commerce especializado em produtos de supermercado, recebeu um aporte de R$ 120 milhões em rodada Série B liderada pelo fundo de corporate venture capital da Minerva e pelo Quartz, de José Galló, ex-CEO da Renner.

Também participaram da rodada os fundos americanos FJ Labs, de Fabrice Grinda, fundador da OLX, e Floating Point, além de alguns acionistas anteriores da startup. Entre eles, estão a gestora FEGIK, o multifamily office Oikos, Ariel Lambrecht (cofundador da 99) e Márcio Schettini (ex-diretor-geral do Itaú Unibanco).

A Shopper foi fundada em 2015 após Bruna Vaz Negrão e Fábio Rodas Blanco se inspirarem no modelo Subscribe & Save, criado pela Amazon nos Estados Unidos.

Na prática, o consumidor monta sua cesta, seleciona o dia de entrega e finaliza sua compra. A lista fica salva no site ou aplicativo e uma entrega fica automaticamente pré-agendada para todos os meses.

Depois, o cliente recebe lembretes mensalmente caso queira alterar sua lista ou data antes das próximas entregas.

Os itens vendidos são de consumo doméstico, como produtos de limpeza, higiene pessoal, alimentos, bebidas, utilidades e produtos para pets. Como a Shopper não tem lojas físicas, eles são comprados diretamente dos fabricantes após a confirmação do pedido, mantendo um baixo nível de estoque.

Com esse modelo, a empresa afirma que não há custo com a manutenção de grandes estoques, com perdas de produtos por validade e com grandes áreas de armazenamento, além de não haver despesas com lojas físicas.

A logística é toda feita pela Shooper, desde a compra com os fabricantes até a operação do centro de distribuição e entregas. 

Desta forma, a proposta é que os clientes economizem, em média, 10% em relação a supermercados tradicionais com vendas on-line.

Atualmente, a companhia atende mais de 1,4 mil bairros da Grande São Paulo, além de 22 municípios próximos, contando com 500 colaboradores e mais de 250 mil pessoas cadastradas na plataforma. 

A Shopper já havia recebido R$ 10 milhões em 2019, em rodada liderada por José Galló com a participação de Juscelino Martins (do Grupo Martins), do fundo Canary VC, e do empreendedor Ariel Lambrecht, cofundador da 99.

“Nosso NPS (Net Promoter Score) é disparado o maior do setor (87) e ainda queremos melhorar muito. Esse aporte que recebemos corrobora todos esses resultados e o potencial do nosso negócio e demonstra que estamos no caminho certo”, afirma Fábio Rodas, CEO e cofundador da Shopper.

Com o novo aporte, a startup pretende investir em novas aquisições e expandir sua atuação, com a oferta de seus serviços em mais municípios, chegando a 60. Além disso, deve abrir mais 500 vagas e acelerar o lançamento de novas tecnologias aplicadas a seus serviços. 

“Nós gostamos de dizer que fazemos o básico bem feito com uma pitada de encantamento. Com esse aporte, vamos poder expandir e encantar ainda mais pessoas”, afirma Bruna Vaz, COO e cofundadora da Shopper.

Como concorrentes, a Shooper enfrenta empresas como a Supermercado Now, comprada pela B2W, o Magazine Luiza, a Americanas e aplicativos como Rappi, iFood e Cornershop, comprado pela Uber.